segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Inanna's Blessing

Ultimo dia do ano...

Agora estou chorando, mas não estou triste necessáriamente, mas estou descontente com o mundo em que vivo, essa cultura ocidental maldita que apenas entorpece ao nosso intelecto, e degenera nossa índole para que façamos coisas estranhas a nosso caráter, para perseguir o sonho dos outros, o sonho da dormência dos outros, de sua ignorância, seja este sonho sedutor ou aterrorizante, não é o sonho da alma.

Purificação, sal, água, mar, placenta...

Renasce um desejo forte de ser a própria noite, de se deleitar em seus desígnios mais doces... mas até mesmo a noite parece contaminada por homens e mulheres que desconhecem a virtude que um dia possuíram.

Fogo, abraço, riso, ausência...

Três paixões eu tenho reveladas no espelho escuro de meu ventre secreto, ventre de serpente, e um quarto amor desavergonhado que se desintegra... Três paixões mas nenhuma, o tempo me traiu. Mentira, eu quem precipitei-o em demasia!!

Uma paixão é como um fruto num galho muito alto; outra como uma serpente descendo a árvore; outra como um pássaro olhando do topo da árvore; e a que se desintegra é como um solo maltratado, mas não perdido... ainda. Sem contar todas as paixões ocultas na paisagem desse jardim maravilhoso, eu as percebo na loucura que organiza a canção que meu espírito dança flamejante, ardendo... Eu quero soprar as minhas pétalas em todas elas espreitando em todo animal e planta, e pedra e rio.

E todos os presentes do Céu, todas as dádivas do Paraíso, estão caindo e apenas a nudez coroando a preciosidade dos meus segredos.

Libertação, encontro, vento e serpente!

Em minha carne viva para mortificar o desejo uma vez mais, para preservar.

Que daqui pra frente ocorra uma transformação mais profunda nas pessoas, no homem e na mulher dentro de cada ser humano, uma consientização acerca da liberdade e do prazer, que é apenas um prsente de cada um para si mesmo, para todos, através da intoxicação e da lucidez, simultâneamente, dentro e fora. (:

"Não é a criança que vem ao mundo, mas sim o mundo que vem para a criança. Nascer é receber de presente o mundo inteiro." -Jostein Gaader-

"Toda mãe contém a filha em si mesma e toda filha, a mãe; toda mulher projeta-se para trás estendendo-se na mãe e para frente na filha." -Carl Jung-


domingo, 30 de dezembro de 2007

Caçada

As paixões renegadas à obscuridade da minha mente estão emergindo com fúria de bestas sedentas.

Sem machucar, desta vez. Hora de agir!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Some News

Estou 'namorando'...! (:

Ele é o tipo de pessoa que tem atitudes nobres e sentimentos altivos, já haviamos ficado algumas vezes há quatro anos atrás, e depois desse tempo sem quase sem nenhum contato nós estamos juntos novamente. Estou feliz e anciosa ao mesmo tempo, sobre o porvir desse relacionamento, tudo muito novo, de um modo positivo.

Em casa está tudo bem, minha avó me surpreendeu com uma atitude que eu jamais esperaria. Agora eu tenho certeza que ela me ama do jeito que eu sou, e que minha conversas estão realmente lançando luz sobre essa minha condição de ter nascido no corpo errado, da importância real de readequar meu corpo para a realidade mental que eu vivencio desde que me entendo por gente, em maior ou menor grau em diferentes estágios de minha vida, mas sempre.

Parece que as vezes pras coisas melhorarem é só deixarmos o ego de lado, deixarmos a vida seguir o seu curso, e não somente exigir que as coisas sejam como gostariamos, a perfeição é encontrada quando queremos o que precisamos, não coisas para suprir nosso lado menos nobre, coisas essas que acabam nos escravizando.

Agora é só dar tempo ao tempo.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Arena

O amar que eu preciso, percebo que não exercito em minha própria personalidade, isso muda hoje! (:

Vou provar que quero, e que estou pronta, só falta o 'alvo' se dar conta que ele também precisa se aprontar em alumas coisas. Nós somos diferentes, porém complemetares.


"Todas as miragens que vislumbramos
Ao perceber que caminhávamos no mesmo deserto
Agora somem

O encontrar de sorrisos e lágrimas
Desperta-nos para uma nova percepção da realidade:
O deserto é quem caminha."

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Hall of Mirrors

Hoje [ontem] foi um dia típico em que meu humor apresentou características altibaixas, indo da euforia ao desânimo num piscar de olhos. Centrei-me, percebi que estou maximizando os pequenos problemas (provavelmente devido ao tédio das férias, pois tenho tendência a estar sempre pensando em algo), assim, quanto maiores os problemas, mais eu terei de pensar para resolvê-los... Vêm a consciência, e com ela a libertação, e desta maneira vejo que preciso achar uma ocupação, um trabalho talvez, ou alguma atividade sem necessáriamente precisar ter um fim lucrativo.

Agora já é quinta-feira, e estou com a mente centralizada numa questão que parece estar no centro do mundo como eu estou vivenciando-o, por enquanto. São alguns fatores, que ao meu ver podem ser resumidos sob uma única diretriz: "não devemos nos projetar de acordo com as perspectivas alheias, principalmente quando estas perspectivas baseiam-se em pontos de vista que tem por base a ignorância ou compreeção parcial dos fatos". Os fatores seguem listados a seguir, primeiro a visão dos outros, depois a realidade vivida por si próprio:

você é transexual - eu estou transexual

Eu mesma sou bastante compassiva quanto a este entendimento das pessoas, uma vez que a mentalidade delas esteja impregnada de padrões que não admitem tal possibilidade. Mas muitas vezes, se não me manifesto de alguma forma, acabo contribuindo para a perpetuação de tal conceito.

A partir de agora, quando alguém demonstrar interesse em compreender minha situação (ou até mesmo quando diante de alguma animosidade), responderei da seguinte forma: eu nasci portadora de uma síndrome chamada Disforia de Gênero, isso tem uma cura, e a cura se dá através da readequação do meu corpo de acordo com o que sou mentalmente.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Claustrofobia [quando percebemos que o casulo já não serve mais]

As vezes o casulo está rachando, e as pessoas insistem em nos achar invisíveis (os familiares). Hoje eu fui com a minha mãe e a minha avó no centro, vi umas camisetas legais e fui comprá-las, a atitude da vendedora e da minha avó foi um tanto quanto antiquada, elas questionavam com olhares e gestos o porque de eu querer justamente aquelas quando haviam tantas outras muito mais masculinas. Minha mãe parece entender isso de um modo bastante peculiar, e eu acredito que ela reconheça que eu sou realmente diferente, e ela me trata como uma especie de alter ego, ela gosta de me exibir, ao contrário da minha avó que quer que eu fique longe de tudo, numa redoma, ela é possessiva demais comigo, e justifica isso com uma proteção exagerada: "eu sei que você é diferente, eu vejo o que todos vêem em você, mas eles podem te machucar e isso seria terrível, eu não viveria sem você".

Percebo que preciso me libertar aos poucos, sem dar a sensação de perda às pessoas queridas, porquê parecer uma menina e agir como uma e ser visto como uma é diferente de se a s s u m i r como uma...

Está escancarado, mas eles tem uma ferramenta poderosa a seu favor: a ignorância.

A capacidade das pessoas em ignorar as coisas que não compreendem a um 'primeiro' contato me assusta.

Mas também tenho pessoas que me apioam, que realmente compreendem que a minha natureza me impele a exteriorizar quem eu realmente sou.

Percepções e Diamantes

Além de um comportamento adequado para cada situação, o modo como nos percebemos influencia em como somos percebidos, isto é o que tenho percebido nos ultimos dias...
Pouco mais de um mês se passou desde que comecei meu tratamento hormonal por conta própria, e estou muito feliz com as mudanças que já ocorreram até o presente momento. Estou muito mais confiante para me apresentar aos outros como a garota que eu sou dentro, os meninos respondem de maneira que posso perceber um certo interesse da parte deles, as meninas acabam reconhecendo que eu realmente sou como elas e me incluem mais ainda em seus assuntos. Até mesmo os familiares, que fazem parte do grupo de maiores preocupações em minha via, junto da carreira profissional e da aceitação social, não me preocupam tanto, eu estou super segura de quem eu sou, e do que quero.

domingo, 15 de abril de 2007

"Paixão é uma enfermidade auto imune."

quarta-feira, 31 de janeiro de 2007

Conduta

É fácil, não exige grande esforço, apenas um breve pensamento, para não cometer erros novamente e novamente...

É fácil, exige algum esforço, mas é compensador quando não impedimos o outro que é apenas uma extensão de nós mesmos de realizar aquilo que é para a felicidade de todos...

E se alguém simplesmente desistir será engolido,
Onde não mais fome, não mais dor, ou ódio, apenas o não-ser.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

Pureza

"Quando não há distâncias a percorrer
Quando a boca seca
Quando os olhos enchem-se
Quando as mãos congelam
Até quando?"

segunda-feira, 1 de janeiro de 2007

Limite

"Tem gente que não entende mesmo..."

"Sob a linguagem do poeta jaz a chave do tesouro". Nizami

A linguagem do Artista, que mente e revela, resguarda e presenteia, é assim, una, não dual, mas completa.

'Ihy Maut! Ankh-na-Maat.'

"Ele que é iluminado com a mais Brilhante Luz moldará a mais Escura Sombra; Ele que é iluminado com a mais Escura Sombra brilhará com a mais Brilhante Luz."
-A. D. Chumbley-