quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Sempre Rainha do Sempre-Aquela que cavalga com a fúria insaciável de muitas irmãs

Quando não havia nobre como Tu
Eu velejei guiado pelos ventos da loucura
Mas encontrei uma linda ilha
E lá o indomável se fortificara
E nada havia sido imposto à seu tempo
Naquele lugar que não estava em lugar nenhum
Sangue algum alimentara a Luz
Prisma algum
Entretanto o verde era palpável na infinitude alva daquele luar
O verde que eu refleti
Numa mácula que desvelou paisagens sangrentas
Fragmentando e fragmentando
Seu espelho Terrível
Porém adorável
Então tudo que se formou de Ti era branco
Mais que a neve nas montanhas
Mais que toda luz que qualquer olho contempla
Mas Tu multiplicas
E sem parar goteja um áureo liquido
Que sussurra ao sensível o caminhar declinante de todos os homens
Eles oram a Ti
E a outros
Mas tua ilusão é tudo o que há
Tua ilusão de cores e sombras de cores
E virginal como uma pomba
Tu caíste assim
Feito o pássaro no mercado
Manchado numa sina de assassínio libertino
Mas eu Te libertei aos Céus
Antes que a fome de baixo viesse devorando
Então Tu te revelou à multidão
Abissínia e implacável e implacável
Mas eles prostram-se
Eles almejam serem querubim
Embora Teu atar avermelhado envergonhe as mulheres
E ferva o sangue dos homens
Ainda assim minha odiada
Quem ousa descer como Tu?
Quem dentre toda a pronuncia de Teus lábios ousa declamar dores contra Ti?
Mesmo assim Tu choras e cala-te em segredo
Quando a minha face se volta para a mascara de luz pendente em Teu peito
Quando a fartura das terras inomináveis transborda
Tu encaras a Escuridão em êxtase lamentante
Porque meu dedo aponta para seu lábio
Mas foge
Foge!
Eu apago esse fogo e me vou
Eu sempre o apago
Conforme eu cresço e me descubro em Ti
Em minha jornada
Circulando no mesmo ponto
E excedo neste dom desapegado
E em todos
Eu sempre reascendo nesta arte prodigiosa
Pois o pronunciar da tua boca nenhuma mulher maldita pode maldizer
Pois não há nos Céus outra igual a Ti
Tampouco nos Infernos
Que não seja de Ti e Tu mesma
Soberana como tu!


(12 de agosto de 2006)

Ecos do canto das sereias

Esta ferida que eu contemplo agora
Com o esconder da chuva sobre o oceano
E no acolher delicado da nevoa na madrugada

Esta me levando para as preciosidades da terra úmida
Delimitadas por estrelas silenciosas
Das mais profundas riquezas por entre a queda do sangue verdejante

Mas mingua e a cá está
A tristeza que impulsiona o morrer nestas garras que desesperadamente arranham o luar
Campos evanescentes no redor da cratera onde o magno-cão escondeu os ossos

Oh bruma do tempo
A necromancia que o crepúsculo glorifica
É o que estamos a declamar agora

E vibra como a víbora
O vôo esperto no deserto
De areias móveis que se esgueiram sobre as dolorosas cicatrizes que não ousamos descobrir...

... Em nós!


(19 de fevereiro de 2006)

Amor

O músico não quebra sua melodia onde uma dançarina atrasar o passo
O escultor não alcança a beleza na brutalidade da rocha
O pássaro não se sacrifica e confina para os ovos inanimados
A maré não aguça o refletir do luar
Nem mesmo os anjos se distanciam do alcance mudo da voz de seu senhor
Até o mais tímido seixo que se arredonda no tempo que não quer passar sucumbe ao sonhar da água
Entretanto há o corte que é seco
Ele odeia e corrompe
Este verter seco de inexistência e infidelidade
Este corte é cego
E nada diz
Pois é também surdo
Morto para sempre
Não-parido
Mas a ave continua
E sua prole é crescente como o respeitoso curvar das ondas
Da mais alta à mais modesta
Há o luar que derrama o sol na dança dos anos
Também o austero e o divino
Ou mesmo o cantar dos homens para alcançar as alturas
Ecoando num vôo de paixões mil
Nada disso seria possível
Se não houver testemunho de amor ali


(08 de setembro de 2006)

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Lágrima

Saudade do contorno do braço, do abraço
Saudade do aconchego, do amasso

O traçado do compasso
Do encontro no alcance do laço

E no esperar da manhã que não mais chega
Entre a tarde sozinha e a noite cega

Tateando a teia
Com a boca que não ateia

O fogo do desencontro
Que arde em estorvo

Não é mais forte
Que a lágrima que abandona o corpo

Furor, Fulgor... Ora et Labora, L'aur'ora, Fulgora!

O ofício da minha liberdade agride, e transgride os limites dos pensamentos alheios, e os limites dos pensamentos alheios me fazem transcender os limites dos meus próprios pensamentos sobre mim mesma.

O meu corpo denuncia o prazer, como o das mulheres o esconde. A minha mente esconde a dor, como a dos homens a projeta.

A poça negra da qual eu surjo alva, e a luz dourada na qual eu evanesço obscurecida... o mistério no Nome do próprio Sol, para triunfar.

O desejo dos opressores, e a vontade dos oprimidos encerrados em meus sangue e carne... o desvelar da Sombra da própria Lua, para garantir.

Talvez eu seja um manuscrito, leia-me em silêncio.

domingo, 9 de novembro de 2008

O Conto do Garoto e seu Tutor

É dito que o vizir Badr al-Din, governador do Iêmen, tinha um irmão mais novo cuja beleza era tão imcomparável que tanto homens quanto mulheres paravam para olhar quando ele passava para banhar seus olhos em sua aparência encantadora. O vizir, temendo que alguma aventura precipitada viria a um ser tão amável, mateve-o longe dos olhos dos homens, e o privou de ter amigos de sua própria idade. Não querendo manda-lo à escola com outros garotos, onde ele não poderia ser vigiado de perto, convidou um venerável e piedoso homem, que era conhecido por seu modo casto, para vir e ensinar-lo em casa, e deu-lhe moradia próxima à porta de sua própria mansão.


O velho homem veio todos os dias, e passou muitas horas com seu aluno. Não demorou muito tempo até que a beleza e a sedução do jovem tivesse seu efeito usual; depois de algumas semanas, o homem estava tão violentamente apaixonado por seu jovem pupilo que ele ouviu todas as aves de sua juventude cantando novamente em sua alma, e conforme elas cantavam algo nele que há muito dormia despertou. Sabendo nenhuma outra maneira de dominar seus sentimentos ele abriu seu coração para o jovem, e disse-lhe que não podia mais viver sem ele.


"Infelizmente", disse o jovem, que estava profundamente tocado pela emoção do seu professor, "minhas mãos estão atadas, e cada minuto do meu tempo é supervisionado pelo meu irmão." O homem suspirou e disse: "Como eu espero passar uma longa noite sozinho com você!" "Você pode muito bem dizer," replicou o outro, "Se meus dias estão tão bem guardados, como você acha que é a noite?" "Eu sei, eu sei," disse o homem, "mas a minha varanda está próxima a sua; deve ser fácil subir em silencio de sua janela até meu terraço quando seu irmão está dormindo. Eu posso encontrá-lo lá e ajudá-lo a ir para o outro lado do muro até o meu terraço. Lá ninguém pode nos espionar."


O jovem gostou da idéia. Ele agiu como se pretendesse dormir aquela noite mas tão logo seu irmão o vizir se retirou ele subiu até o terraço onde o velho homem esperava por ele. O astuto homem o pegou pela mão ao longo do muro até seu terraço, onde bandejas de frutas e copos cheios de vinho foram postos para o prazer de ambos. Eles sentaram-se ao luar sobre um tapete branco, e começaram a beber e cantar juntos, inspirados pela noite clara e pelos raios suaves das estrelas iluminando-os em êxtase. À medida que o tempo foi passando, assim, tão rápido, o vizir Badr al-Din acordou de repente e tinha em mente checar seu jovem irmão, e ficou fortemente surpreendido por não encontrá-lo no seu quarto. Após procurar por toda a casa ele foi para o terraço e, aproximando-se do muro viu seu irmão e o velho homem sentados lado a lado com taças de vinho em suas mãos.


Como que por sorte, o homem havia notado a aproximação do vizir e, sendo dotado de um humor sagaz ele interrompeu a canção que estava cantando e tão sabiamente improvisou uma estrofe sem nunca pular uma batida:
"Sua boca agraciou a taça com o sua salivaantes que encontrasse a minha minha,E o enrubescer da sua bochecha suavizou um poucoo vermelho da vinha ..."


e prosseguiu ininterruptamente sem gaguejar:
"Seu excelente irmão, Lua Cheia de Cuidado, ninguém pode duvidar , mas chamo-te “o doce”, Lua Cheia de Beleza, sereno e a brilhar.”


Quando o vizir Badr al-Din ouviu esta delicada alusão, sendo um homem discreto e muito galante, e nem tendo visto nada impróprio entre os dois, ele se retirou dizendo a si mesmo: "Como Deus.∕ Allah vive, não vou perturbar a festividade deles." Assim, o casal continuou sua festa em perfeita felicidade.

Autor: Abu Nuwas


(Retold after the translation of Richard F. Burton, Heritage Press, New York, 1934, who based his work on a collection of tales that are at least a thousand years old.∕ Re-contado após a tradução de Richard F. Burton, Heritage Press, Nova York, 1934, que baseia seu trabalho em uma coleção de contos que têm pelo menos mil anos.)

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

O Enforcado

Não podem sorrir as flores
Nem perdurar as dores

Nem beleza há sem amores
Aquém da delícia em seus sabores

Somente um sacrifício há de aplacar
A ferocidade do sonho ao despertar

Entre os ramos do campo guarnecido
A foice mata para alimentar o enfraquecido

Desejo o encontrar do alvorecer
Em meu corpo para corroer

A morte entre as sementes do amanhã
Tão linda a vida e tão vã.

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Crítica Social - Por Favor Não Me Aceite!

O texto que postarei abaixo é um trecho do artigo na wikipedia sobre a Filosofia da Pederastia Grega (http://en.wikipedia.org/wiki/Philosophy_of_Greek_pederasty), e demonstra o porque não é de se espantar o o fato de a sociedade atual condenar e definir como fraqueza de caráter tudo aquilo que os sábios de outrora tanto estimavam no contexto da expressão do amor erótico.

Críticas Éticas
As formas que a pederastia possuiu variavam de uma cidade para outra, e eram sujeitas a avaliação e comparação. Por exemplo, o personagem de Pausânias no Simpósio de Platão postula que a construção ideal de relações eróticas entre homens e meninos é o meio termo entre os dois extremos de, por um lado, terras estrangeiras onde essas relações forem proibidas por completo e, por outro lado , cidades tais como Elis e Boeotia, onde os homens são trabalhadores não qualificados no discurso e os meninos estão autorizados a ceder acriticamente. Esse meio terreno, reivindicado por Pausânias como sendo Atenas e Esparta, é aquele onde os homens são bem versados na arte da retórica e os rapazes reagem criticamente a respeito de seus pretendentes, escolhendo apenas o mais persuasivo. Assim, Platão faz uma relação entre os sistemas políticos, expressão erótica, sofisticação intelectual como refletidos na arte da conversação.
(Nota: Pausânias associa especificamente o melhor tipo de amor pederasta com a arte da conversação. Pausânias salienta que, no interior (Elis e Boetia), onde os homens não são sabidos na fala (mê sophoi legein), espera-se dos rapazes para cederem sem argumentos (logoi) para persuadi-los (peithein); uma situação que considera repreensível . Ele lembra que o déspota, por outro lado, despreza pederastia porque não tem utilização na filosofia, nem, podemos fazer de conta, para a persuasão. É apenas na sociedade Ateniense (e Espartana?) que persuasão e argumentação são cruciais para as relações eróticas (ou, mais precisamente, para relações eróticas entre os homens livres). " David Allan Gilbert, "Plato's Ideal Art of Rhetoric, an Interpretation of Phaedrus 270B-272B"; Unpublished doctoral dissertation, 2002; p187)
Relacionamentos masculinos foram representados em formas complexas, algumas honrosas e outras desonrosas. Mas para a grande maioria dos historiadores antigos um homem que não tenha tido um jovem como amante apresentou uma deficiência de caráter. Platão estava entre aqueles que manifestavam-se contra a decadência em que a tradicional pederastia ateniense estava se afundando. Em suas primeiras obras (o Simpósio ou em Phaedrus) ele não questiona os princípios da pederastia, e afirma, referindo-se a relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo:
Eu não conheço nenhuma bênção maior para um jovem que está começando na vida do que um amante virtuoso, ou para um amante do que um jovem amável. A princípio, devo dizer, nem parentes, nem honra, nem riqueza, nem nenhum motivo é capaz de implantar tão bem como o amor. Do que eu estou falando? Do senso de honra e de desonra, sem o qual nem os Estados, nem os indivíduos fariam qualquer bom ou grande trabalho ... E se houvesse apenas uma maneira de construção, que um Estado ou um exército fosse constituído por amantes e seus amores, eles seriam os melhores governadores de sua própria cidade, abstendo-se de toda desonra e emulando um no outro a honra; e é um pouco exagerado dizer que, quando lutam pelo lado uns dos outros, embora meramente com seus punhos, eles vão conquistar o mundo. (Platão, Phaedrus no Simpósio)
e novamente,
[...] geralmente em países que estão sujeitos à bárbaros, o costume é tido como sendo desonroso; amor por jovens compartilha a má reputação com a filosofia e a nudez esportiva, porque são hostis à tirania; pois os interesses dos governantes requerem que seus subordinados sejam pobres de espírito, e que não deve haver um forte vínculo de amizade ou de sociedade entre eles, que o amor, acima de todos os outros motivos, é igualmente inspirador, como nossos tiranos atenienses aprenderam por experiência; pois o amor de Aristogíton e a constância de Harmódio tinham uma força que destituía seus poderes. (Platão, Simpósio; 182c)

Solidão - O Solidificar da Ilusão

É uma ilusão imposta, e só se torna real quando aceitamos tal imposição. Que nos afeta de modo a esquecermos o real sentido da natureza da busca por si mesmo, no todo. O unico rumo real é o viver, o ser... e existir é ter consciencia d que se está seguindo tal rumo, pura e simplesmente, mesmo q nao se saiba para onde ("conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo").

sábado, 1 de novembro de 2008

Amor Divino

Nos preencheu quando doamos, quando doemos.
Nos quis mesmo quando não queriamos.
Nos libertou na proteção infalível conferida um para com o outro.
Nos rubicou os rostos quando recebemo-nos um no outro, pelo desvelar da jóia escondida um do outro.
Nos enfraqueceu na guerra, e nos aperfeiçoou na paz.
Nos tornou completos por compartilhar.
E tornou ser quando acabou, só pra sermos n'Ele novamente, e novamente.
O Amor Divino nos tornou gratificados quando sacrificamos a fortaleza um do outro, um no outro, e um para o outro.

Estética - A Simetria Prazerosa da Dor

*Nota minha: Antes de ler o texto é preciso ter em mente que "gay" como uma identidade sexual é um desenvolvimento recente, emergido apenas no século 20, e a idéia atual do que significa "ser" gay ou homossexual é amplamente influenciada pelo recente ativismo gay e a emergência de direitos gays no cenário cultural. Na antiguidade grega não havia esta identidade gay - nem a hetero - e eles não dividiam sua sexualidade em hetero e homo. Suas paixões eram parte de sua expressão erótica como seres sexuais. Eles não consideravam seu amor por garotos como gay ou homossexual, como separado de outras expressões sexuais, e o valor do relacionamento não era julgado pelo genero da pessoa que alguém amava, mas por seus resultados.


BELEZA CLÁSSICA
(Extraído do livro: The Seduction of the Mediterranean: Writing, Art and the Homosexual Fantasy. by Robert Aldrich; traduzido por mim)


Pinturas e estatuas gregas às vezes apresentam retratos de indivíduos realistas ou pouco atrativos, mas mais freqüentemente apresentam tipos ideais, destacando as características tidas como mais atrativas. Portanto estatuas do adulto Apollo ou do adolescente Ganymede, universalmente aclamados como belos espécimes masculinos, dão uma boa idéia das noções Gregas de beleza masculina. De acordo com Dover, no período clássico o macho clássico era um homem jovem marcado por “ombros amplos, peito profundo, grandes músculos acima dos quadris, uma cintura fina, nádegas projetadas e coxas e panturrilhas sólidas’. O rosto constituía ‘testa de altura moderada e um nariz reto, com o lábio inferior tendendo a ser cheio mas não largo, o queixo bastante profundo e arredondado e olho determinado... mas de tamanho normal’. Um jovem gracioso era retratado como imberbe, enquanto um homem adulto geralmente portava barba – presença de pêlos faciais e corporais eram marca de maturidade física e virilidade, embora cabelo no corpo em excesso, como comum em sátiros indicavam luxúria desenfreada. Uma cabeleira leonina era característica particular de homens bonitos. Os gregos também eram atraídos por coxas sólidas e belos olhos, assim como pela pele bronzeada em exercícios ao ar livre.
Artistas retratavam a genitália sem constrangimento. A nudez das estatuas e pinturas gregas permitiram artistas retratarem os contornos do corpo humano. Isto também reflete a aceitação da nudez na vida grega. Gregos exercitavam-se nus em ginásios e ficavam despidos em casas de banho. As mulheres na arte grega, pelo menos aquelas de boa moral (exceto no caso de deusas), cobriam seus seios e genitais. Homens jovens por contraste usualmente tinham o tronco nu e usavam apenas uma simples capa, quando muito, perto de suas partes medianas; os homens idosos, porém, foram mais modestamente vestidos. Alguns homens aparecem com o pênis flácido, outros com pênis ereto. Sátiros são quase sempre itifálicos. A arte grega, segundo Dover, era extremamente interessada nos genitais – os gregos consideraram o pênis um órgão genital e uma arma em reserva – mas não eram obcecados com tamanho. Os gregos preferiam genitais pequenos, pelo menos na arte; se um jovem ou menino tivesse um pênis apontado e reto simbolizava sua aptidão masculina para tornar-se um guerreiro; deveria ser minimamente evidenciada a diferença entre o macho imaturo e o macho adulto e assimilava-se isto ao contraste entre macho e fêmea; um pênis pequeno... é um indicio de modéstia e subordinação, uma abjuração da iniciativa ou rivalidade sexual’. Retratos idealizados de machos com pequenos genitais e ausência de pêlo corporal eram uma tentativa de ‘rejuvenescer’ homens e fazê-los conformes com a beleza dos efebos que os gregos canonizaram. O homem adulto grego ideal, porém, seria um guerreiro e atleta, e o modelo ‘clássico’ mostrando homens bem musculosos (embora sem a exagerada musculatura dos “fisiculturistas”).
Os gestos dos homens gregos, e os objetos que aparecem nas representações dos mesmos, indicavam virilidade. Alguns carregam lanças ou armas similares; outros seguram equipamentos esportivos. Muitas imagens mostram homens realizando o que os gregos consideravam recreações tipicamente masculinas, como beber ou banquetear. Abundam imagens de erastes/amantes muitas vezes dando um presente, tipicamente um galo, uma lebre ou outro animal, ao seu eromenos/amado. A maneira na qual um homem andava também foi investida com significância como um código de virilidade, e o homem ideal possuía um andar leonino: ‘Ele cujos pés e mãos movem-se em harmonia com todo o resto de sua pessoa, que se move para frente com os ombros calma e cuidadosamente controlados, com seu pescoço inclinado, mas ligeiramente – ele é aquele que os homens chamam corajoso e generoso, pois dele é o andar do leão.’
No entanto, a arte grega incluía retratos que variavam do ideal viril. Artistas não desprezavam temas andróginos, e existem imagens de pessoas com características femininas e masculinas combinadas, e também de hermafroditas. A figura andrógina, a meia distancia entre macho e fêmea, como o adolescente a meio caminho entre criança e homem, era dotada de um fascínio para os gregos e não era menos investida com sensualidade do que as figuras mais definidas de homens ou mulheres adultos. Os gregos até tinham idéias bem desenvolvidas sobre quais características físicas marcavam o homem afeminado ou a pessoa andrógina. De acordo com Adamantios: 'Você pode reconhecê-lo por seu olhar provocativamente ‘derretido’ e pelo rápido movimento de seus olhos intensamente concentrados. Sua testa é tensa enquanto suas sobrancelha e face movem-se constantemente. Sua cabeça é inclinada para o lado, suas nádegas não ficam imóveis, seus braços sem músculos nunca permanecem em uma posição. Ele anda afetadamente com pequenos passos saltados, seus joelhos batem um no outro. Ele tem as mãos com as palmas para frente. Ele tem um olhar inconstante, e sua voz é fina, emotiva, cativante∕apelativa, languida.’ Tais estereótipos, de uma forma estranha, foram aplicados a todos homossexuais nos séculos posteriores. Protótipos gregos definiram visões ocidentais futuras sobre o que era belo e viril e, em contrapartida, o que era pouco atraente e fraco; na arte e na escrita, os gregos legaram para o mundo ocidental um modelo de beleza – dizer que alguém é belo como um deus grego é uma alusão, inconsciente ou intencional, à estética grega.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Definições

(As informações no texto a seguir que são provenientes de fonte externa foram antes checadas por mim e estão de acordo com o que eu penso, como evidenciado nos comentários.)

Sobre o gênero:

Género (Gênero no Brasil), refere-se às diferenças entre homens e mulheres. Ainda que gênero seja usado como sinônimo de sexo, nas ciências sociais refere-se às diferenças sociais, conhecidas nas ciências biológicas como papel de gênero. Historicamente, o feminismo posicionou os papéis de gênero como construídos socialmente, independente de qualquer base biológica. Pessoas cuja identidade de gênero difere do gênero designado de acordo com o sexo são normalmente identificadas como transexuais ou transgêneros.” (Fonte: Wikipédia)

A identidade de gênero, como o nome diz, refere-se ao gênero com o qual a pessoa se identifica, e não necessariamente precisa corresponder ao que é definido culturalmente como o que deve ser seguido, de acordo com o sexo biológico do indivíduo (masculino/macho ou feminino/fêmea).

Sobre o sexo:

A espécie humana apresenta dois sexos e, falando num contexto do que é perceptível, o que caracteriza o sexo são os genitais e as características secundarias (como o desenvolvimento das mamas nas femeas, e a presença de pelos em determinadas partes do corpo, notadamente o rosto, o tórax e as costas nos machos).

Quanto aos genitais (órgãos sexuais que estão diretamente ligados à reprodução e também às relações sexuais com ou sem o intuito de reprodução {recreativamente}), temos os machos com genitália externa e aparente, e as fêmeas com apenas parte da externa/aparente genitália (a parte interna correspondendo ao útero, etc.).

Existem pessoas que mesmo sendo do sexo masculino, apresentam um comportamento condizente com aquele que é atribuído ao sexo que pertencem (transexuais). Há ainda pessoas que não se identificam totalmente com algum destes, ou que mesmo havendo uma identificação ela não é tão fixa ou definível assim (transgêneros).

Portanto, a identificação do indivíduo com um gênero atribuído ao do sexo oposto daquele que o mesmo pertence não é um sinônimo de que a pessoa possui esta ou aquela orientação sexual e muito menos determina isto.

Sobre orientação sexual (e a questão dos T-lovers):

A orientação sexual indica qual o gênero (e.g. masculino e feminino) que uma pessoa se sente preferencialmente atraída fisicamente e/ou emocionalmente.

A orientação sexual pode ser assexual (nenhuma atracção sexual), bissexual (atracção por ambos os gêneros), heterossexual (atracção pelo gênero oposto), homossexual (atracção pelo mesmo gênero), ou pansexual (atracção por diversos gêneros, quando se aceita a existência de mais de dois gêneros). O termo pansexual (ou também omnissexual) pode ser utilizado, ainda, para indicar alguém que tem uma orientação mais abrangente (incluindo por exemplo, atracção específica por transgêneros)." (Fonte: Wikipédia)

Importante salientar que o termo "orientação sexual" indica o gênero (e não o sexo, masc. ou fem.) que a pessoa sente-se atraida, no sentido de amor erótico.

Assim sendo, concluímos que independente da realidade sexual da pessoa, o que conta no quesito atração é o gênero que identificamos o parceiro, no qual ele está inserido, e no que se apresenta. Os atos sexuais (no contexto recreativo) que são praticados também independem do gênero, quando muito por questões culturais, mas são definidos realmente pelas preferências da pessoa, apenas.

Sobre os t-lovers. Bem, o termo em si abrange homens que sentem-se atraídos eróticamente tanto por transgêneros quanto por mulheres transexuais, mas apenas no contexto pornográfico! Já que surgiu entre os consumidores desse segmento (o das 't-girls') da indústria pornográfica, fato.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Paz de Espírito - Ankh na Maat

Todos os seres humanos possuem, em potencial, numerosas tendências e faculdades que ficam em estado de vigília. As experiências vividas por um indivíduo, o exemplo dos mais velhos, os princípios inculcados pela educação, a censura do meio social, fazem com que apenas algumas dessas tendências
e faculdades possam expandir-se, resultando daí a criação de uma personalidade aparente, diferente daquela que ele poderia ter tido, se o acaso o tivesse colocado num meio onde os valores morais e os princípios admitidos tivessem sido diferentes.

- Pierre Fatumbi Verger




não nascemos preconceituosos
não nascemos com raiva ou ódio
não nascemos com inveja...
mas nascemos com medo.
... alguns criam coragem para enfrentar o medo e compreender a verdade
outros são covardes e continuam temendo e invejando, temendo e odiando, temendo e pré-conceituando.

99% daquilo que as pessoas dizem odiar se encontra igualmente nas pessoas que elas criticam e nelas mesmas.
99% do que as pessoas afirmam não ser é o que elas são.

o não ser inexiste, não pode ser afirmado. o ódio só é nutrido por algo que nos é íntimo. alguém já deve ter dito isso, anyway.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Uma Prece Silenciosa em Movimento

Nada muda, as coisas evoluem dentro de sua própria 'espécie', conforme o 'ambiente'...

Nada muda, a realidade continua sendo o que é percebido...

Nada muda, a vida é uma maldição linda, finamente entoada por um deus esquecido, que é o espelho onde tudo reflete sem saber, sendo...

Nada muda, nessa vida maldita você é uma benção profunda, que tece o rumo das estrelas com uma agulha de paixão, no manto do próprio universo...

Possam os nossos passos se reencontrarem no caminho, onde borra com sangue as pegadas, enterra as sandálias...

Nada muda, nada vai mudar o que aconteceu, nada vai mudar quando acontecer, só quero que aconteça melhor daqui pra frente, vou me empenhar nisso, em ser uma pessoa melhor, e talvez o deus esquecido entoa uma maldição doce pra eu viver com você, mais doce que a polpa do fruto proíbido, mais perpétuo que sua amarga semente.

sábado, 23 de agosto de 2008

Cifra

Fragmentos de uma resposta jamais enviada à uma carta jamais recebida, ou vice-versa:

"... Sinto-me frágil e debilitada, e tropecei em minhas próprias pernas, fantásmagóricamente posicionadas sobre as pegadas do passado, minhas, de quando outrora ousei trilhar estes caminhos do coração.
Entretanto há diferenças: eu erro diferente, as coisas me acertam de modo diferente.
O espelho invertido desafiando os reflexos de tudo.
Onde eu sou não há molduras, tudo é escuridão, exceto esta fresta em que reflito, e sou refletida...
Sinto a profundeza rugindo desse abismo que une e separa... Sobre o qual são erguidas pontes que não se é possivel atravessar.
Então eu sou feito a seda, e água clara...
Vinho claro, uvas verdes, e pérolas.
Mas sou na sombra do púrpura, e talvez até cinza,
Sou uma gota de sangue, e a vida que deseja acontecer eternamente, fisicamente, pelo amor de um pombo, caindo nos céus de antigamente, não tão perfeita...
... apenas pelo preço de sê-lo."


fim.

Maat

No meio da aparente confusão, meus sentidos são como um tato certeiro.

Deveria me sentir mal mas sinto-me bem, deveria estar triste mas estou enérgica, equilíbrio e verdade, justiça e ação, exigências.

Frieza como um luar de prata banhando minha carne, e meu plácido espirito expandindo sua luminosidade, a placenta da glória e o parto da vitória. Onde havia uma forca e uma pergaminho, há agora uma balança e uma pena.

Compartilhar a loucura pela metade é um egoísmo da própria ilusão, eu quero o segredo distante ou a revelação que aproxima, em liberdade para ser pleno, mas não outros...

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

letra minuscula

eu sou um livro em branco, onde as paisagens imprimem o ideal do descrente
e as luzes da cidade apodrecendo entre essa gente

a bailarina não chora sobre o pó que perseguia
e a secura na noite é pior que a do dia

a lucidez delirando na malicia da criança
pisoteia a bailarina com sua dança, matança

e no apontar da sombra em segredo
o diabo ronda gargalhando e sem medo

começo sentir a dor distante
pra ver se tomo algum rumo mais distante.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Humidity

Caçado pelos ventos
Aterrorizado por seus uivos
Na curvatura das asas metálicas da noite

Erigido na firmeza do altar
Para que fosse distribuído
O rubicar que faz a luz estremecer

Pudera o teu poder ser igualmente ditribuído
Não fosse os reis que maravillham-se com o poder do teu verdejar
Que prende esta virtude para a ruína dos filhos do Céu e da Terra

Deixa que a gazela afogue a leoa
Deixa que o deserto afogue o sol
Deixa que a carne afogue o espírito

Para que este embebedar que embriaga o multiverso
Com o esplendor que emana de toda criatura à sobra de seu criador
Possa sempre garantir o despertar

Com o poder de teu cajado
A corajem que estilhaça o espelho da Senhora
E desperta o sonho em pedaços

A fração de verdade que encabeça o início da batalha
Para que os despertos possam semear-te no solo de glória
Perpétuamente e reluzente entre a haste de ontem e a lâmina do amanhã, agora.

domingo, 17 de agosto de 2008

Abraço

Soninho, vigília, tinta molhada, esperma.

Queria estar sob o sol agora, com você.

Mas eu te sinto dentro de mim, e não quero dividir.

E a musica dos pássaros no jardim deixa a tinta que colore o céu molhada,

E sua revoada de anoitecer a faz despencar sobre nós o prazer,

Por amor, ao amor.

sábado, 24 de maio de 2008

Réflexions

Tentei dormir mas, por um motivo secreto e uma razão desconhecida, não consegui. Então os pensamentos pululam e transbordam, e há um vislumbre das verdades ocultas de mim mesma, por mim mesma...

Aniquilação e monstruosidade, para borrar as letras da alma, brutalmente.
Sinto isto como um fim a minha vida, novamente. E não mais surpreende.

O desejo de mudar veio forte, mas quando começo a escrever ele vai lentamente embora.
Eu conheço como estou, mas nisso não reconheço quem eu sou. Sabedoria carecida aqui, e o anjo caiu, cá onde estou. E o anjo amordaçado, refletido nas lágrimas iluminadas pelo fogo da paixão do demônio que eu sou, assiste sua queda piedosamente.

E o mundo mais uma vez é nada, e o sentido não se compromete com o tempo. Até que os olhos se fechem novamente, e o sonho pulverize as coisas feias, uma vez mais e... para sempre?

terça-feira, 8 de abril de 2008

Ódio

Hoje meu horóscopo não está muito bom, um dos trânsitos planetários mais influentes é 'marte quadratura lua', indicando muitos conflitos, com coisas que eu costumo evitar pro meu bem estar... Fui no centro fazer umas coisinhas, me sentindo super desconfortável. Não aguento mais ficar a mercê das perspectivas desse bando de gente ridícula que constitui a grande maioria da população brasileira.

Quero voar...

Penso em coisas agradáveis, penso na minha paixão.

Mas olho ao redor e vejo algo que não me agrada, que me faz reprimir meus sentimentos mais caros, mundo do cão!

Agora eu quero forças pra matar, forças pra matar a Laura fraca que existe em mim. Eu vou no inferno, e volto com as cabeças dos meus demôniosricamente prostas em bandejas de ouro, para triunfar!

Eu inflamo minhas asas sob o sol do paraíso imperfeito, e rodopio abaixo rumo ao inferno ideal.

domingo, 23 de março de 2008

Impessoalidades

Semana que eu não fiz qualquer coisa que não quisesse, saudade de alguem ai.. hihi

Descobri que na escola as pessoas tem uma boa impressão de mim, vou começar a causar mais, aproveitar mais, então. rs

Agora vou me esforçar pra manter as coisas nesse clima de simplicidade e contentmento, de aproveitar ao máximo o que tenho pra hoje, amanha exijirá novas posturas, exporá novos desafios.

Sentimento de extrema liberdade, mesmo estando eu pensando em mim junto de alguém, encontrei alguém que me surpreende, que me compreende (ou tenta, sou difícil, admito, haha).

Well, mês que vem tenho uns planos malucos pra por em prática. Segredo por enquanto! hihi

Tenham todos uma semana excelente, cheia de boas surpresas.^^


bittersweet kisses

sábado, 15 de março de 2008

Corpo de Paraíso [Sombra de Catástrofe]

Sua voz me alcança
Fazendo meu corpo tremer

Seu olhar me encontra
Tentando a dor e o prazer

Tudo nesse jardim é para o seu deleite
Para sua alma derreter

Mas daquela árvore central não se aproxime
De seu proeminente fruto não poderá comer

Eu posso mostrar perfeição
Posso deixar-lhe alcançá-la

Mas daquela árvore à serpentear
Cujo maturar do fruto vêm meu prazer anunciar

Deve com olhos fechados jurar
Que jamais irá provar

Para que o desejo mais almejado
Venha a se realizar.

sábado, 8 de março de 2008

Comemoração

Hoje é considerado o 'Dia da Mulher'.
Pra mim sempre que eu levanto é dia da mulher, e por ser uma mulher transicionando preciso conquistar até mesmo coisas que já são uma realidade para algumas. O respeito é uma delas.

Então um Feliz dia da Mulher é um dia em que conseguimos ser plenas, sermos a mulher real, não a mulher dos sonhos de alguém. Desejo que as mulheres fracas morram, que a parte fraca que existe na mulher que eu sou morra pra dar espaço a uma mulher conquistadora e digna.

Que o equilíbrio reine em bondade, todos os dias, e sempre será um dia feliz para nós, sejamos 'nós' homens ou mulheres. (:



Christina Aguilera

Can't Hold Us Down (tradução)


Então porque eu não deveria ter uma opinião
Eu deveria ficar calada só porque sou uma mulher
Me chama de vagabunda porque eu falo o que penso
Acho que é mais fácil para você suportar se eu sento e sorrio

Quando uma mulher atira de volta
De repente o grande falador não sabe como agir
Então ele faz o que qualquer garotinho faria
Inventando um ou dois falsos boatos

Isto com certeza não é um homem pra mim
Difamando nomes por popularidade
É triste que você só consiga fama através de polêmicas
Mas agora é a minha vez de vir e dar-lhe algo mais a dizer

Isto é pra todas as minhas garotas no mundo inteiro
Que se depararam com um homem que não respeita o seu valor
Pensando que todas as mulheres são para serem vistas, não ouvidas
Então o que fazemos garotas?
Gritamos bem alto!
Deixando-os saber que nós vamos manter a nossa área
Levantem sua mãos alto e acenem com orgulho
Respire fundo e diga bem alto
Nunca puderam, nunca irão, não podem nos controlar

Ninguém pode nos controlar
Nunca puderam, nunca irão

Então porque eu não deveria dizer o que estou dizendo
Você está ofendido com a mensagem que estou trazendo
Chame-me de qualquer coisa porque suas palavras não querem dizer nada
Acho que você nem é homem suficiente para aguentar o que eu canto

Se você olhar pra trás, na história
É um padrão duplo comum da sociedade
O homem ganha toda a glória quanto mais ele puder faturar
Enquanto a mulher que faz o mesmo é chamada de prostituta

Eu não entendo como isto seja certo
O garoto pode sair tranqüilamente, e a garota fica com a fama
Todas as minhas companheiras venham juntas e façam uma mudança
Façam um novo começo para nós - todas cantem

Isto é pra todas as minhas garotas no mundo inteiro
Que se depararam com um homem que não respeita o seu valor
Pensando que todas as mulheres são para serem vistas, não ouvidas
Então o que fazemos garotas?
Gritamos bem alto!
Deixando-os saber que nós vamos manter a nossa área
Levantem sua mãos alto e acenem com orgulho
Respire fundo e diga bem alto
Nunca puderam, nunca irão, não podem nos controlar

Veja só, tem algo que eu não consigo entender
Se um cara tem três garotas ele é um garanhão
Ele pode enganá-las e usá-las como quiser
Se uma garota faz o mesmo então ela é uma vagabunda
Mas a mesa vai virar
Eu aposto minha reputação nisso
Gatos roubam minhas idéias e e colocam seu nome nelas
Já chega, vocês não podem me controlar
Eu tenho que continuar em frente

Para todas as minhas garotas que têm um homem machista
Tenha orgulho e deixe-o saber disso
Você tem que deixar ele saber que o jogo está vencido
E Lil'Kim e Christina Aguilera te ajudarão

Mas você é apenas um garotinho
Que pensa que é bonitinho e gracioso
Você deve falar tanto que engrandece besteiras
Diga que você é um garotinho
Tudo o que você sabe fazer é aborrecer
Você deve falar tanto que engrandece besteiras

quarta-feira, 5 de março de 2008

Inanna's Blessing III

Segue a tradução livre de um mito, uma versão que eu achei muito bonita (adaptada da versão encontrada em: Blossom of Bone: Reclaiming the Connections Between Homoeroticism and the Sacred ).



Inanna, rainha dos Céu e da Terra, sem quem as flores não cresceriam,
Sem quem o gelo nunca derreteria, os céus nunca
brilhariam,
e o mundo descansaria para sempre, despertou em sua totalidade para sua própria beleza.

Das Alturas minha senhora Inanna permitiu-se ouvir as Profundezas
E a deusa abandonou os Céus e a Terra
Para descer ao Mundo Inferior
Porque lá vivia sua irmã Ereshkigal, rainha do Mundo Inferior.
Pelos sete portais a deusa Inanna passaria, exigindo ingressar,
E em cada portal a deusa foi despida de seus ornamentos preciosos.

E em cada portal Inanna perguntou, "o que é isto?"
E à minha senhora foi dito: "os caminhos do submundo são perfeitos. Não podem ser questionados."
Finalmente despida e curvada entrou na sala do trono.
Ereshkigal levantou-se de seu trono e golpeou-a.
Inanna foi transformada em um pedaço de carne decomposta e então pendurada em um gancho na parede.
E Ereshkigal declarou,
"nenhum deus, ou deusa, nenhum homem ou mulher entrará no submundo para salvar Inanna."

Então o
grande deus Enki foi informado
E de sua unha magnífica, feita de luz, formou um ser, Asushunamir.
Asushunamir um ser de luz, aquele que não era nem macho nem fêmea e, no entanto, ambos.
Renovação da luz, Asushunamir.
E encarregou-o do resgate de Inanna.
Ele e ela cuja a face é brilhante, tão belo, Asushunamir
Vestido em estrelas, Asushunamir.

O encanto da Grande Ereshkigal não podia atingir este ser luminoso.
Contudo Ereshkigal foi movida pela beleza de Asushunamir, irrequieta pela voz da criatura, e por sua dança.
Ereshkigal exigiu que uma grande festa fosse preparada para honrar tal criatura, e que o melhor vinho fosse trazido à mesa.
Sonhou levar este belo ser até sua cama, e mantê-lo com ela na terra dos mortos
Mas Asushunamir foi cuidadoso para derramar o vinho sobre o chão e para não comer o alimento preparado por espíritos.

Quando Ereshkigal tinha caído em sua bebedeira, o nem-homem nem-mulher perguntou-a se poderia provar da água da vida,
que Ereshkigal mantinha guardada em sua adega.
Ereshkigal chamou seu criado, "traz o jarro! Eu concederei o desejo desta criatura encantadora!"
Quando Ereshkigal caiu adormecida, Asushunamir fez seu caminho até a cela escura
Onde Inanna, era mantida presa.

Ele espargiu a água da vida sobre a deusa.
E conforme as gotas caíram sobre sua pele, Ela abriu seus olhos.
Radiante e fluindo com a energia da vida, Inanna fez rapidamente seu caminho de volta através dos sete portais,
ascendendo à terra e fazendo as flores crescerem.
Asushunamir não era tão afortunado.
Ereshkigal despertou enquanto Ele aproximou-se do sétimo portal e nada poderia deter os fogos da paixão de Ereshkigal tornando-se em ódio.

"o alimento das valetas será seu alimento!" gritou a Grande Ereshkigal . "a bebida dos esgotos será sua bebida. Nas sombras você a tomará." Pronunciando sua maldição sobre a criatura, baniu Asushunamir.

Quando Inanna tomou conhecimento sobre a maldição terrível lançada em no ser luminoso, lamentou e disse suavemente de modo que ninguém pudesse ouvir, "o poder de Ereshkigal é grande. Ninguém deve desafia-la. Mas assim como o inverno foi suavizado tornando-se em primavera, eu posso assim suavizar sua maldição. Por muito tempo você sofrerá. Aqueles que são como você, os diferentes, amantes dos homens, parentes de minhas sagradas mulheres, serão como estranhos em seus lares. Suas famílias mantê-lo-ão como segredos nas sombras e não lhes deixarão nada. O bêbado machucará suas faces, e o rico as encarcerará.

"mas se vocês recordarem-se, como nasceram da luz das estrelas para salvar-me da morte e livrar a terra do inverno, eu vos abrigarei. Vocês serão minhas crianças especiais, e eu far-lhe-eis meus sacerdotes. Eu conceder-lhe-eis o dom da profecia, da sabedoria da terra e da lua. Vocês banirão a doença de minhas crianças, como Asushunamir resgatou-me de Ereshkigal e da terra da qual não havia retorno.

e quando vocês adornarem-se em minhas vestes femininas eu dançarei em seus pés e cantarei em suas gargantas, e homem algum poderá resistir aos teus encantos.

quando o jarro da água da vida é trazido adiante das sete portas então os leões regozijarão nos desertos e vocês estarão libertos do feitiço de Ereshkigal. Uma vez mais serão chamados Asushunamir. Seres vestidos de Luz. Os seus serão chamados Aqueles cujas faces são brilhantes. Aqueles que vieram para renovar a luz, abençoados de Inanna."

segunda-feira, 3 de março de 2008

Perspectiva e sombras...[{des}ânimo]

A partir de hoje moramos só eu e minh avó aqui em casa, como a um tempo atrás. Minha mãe foi morar com o namo no centro, porque a unidade que ela trabalhava foi transferida pra lá definitivamente, algo assim, rss.

Há mais ou menos duas semanas ela tinha comentado comigo se eu gostaria de morar no centro e talz, mas eu disse que não. Era por isso então, haha.

Mas eu com a minha avó também taurina como eu vai ser o paraíso!^^

Minha mãe estava meio cheia de mim, eu senti isso, eu crescendo parece que a incomodo, mas fazer o que?...

As aulas estão bem calminhas até agora, voltei a ser 'nerd', rss.

Quero terminar logo, ainda bem que é só até julho! \o/

Ontem estava meio chato o clima aqui porque minha mãe não confia em mim mais, não sei porque, até com relação a dindin, se eu peço pra comprar algo ela fica perguntando pra que é, essas coisas. Por sorte quando eu ia dormir de mau humor o Dilson me liga e fomos tomar um vinho na rua, cheguei 3 e alguma coisa da manhã, rss.

Conversamos, rimos, e estavamos perto do lado menos condicionado da noite. Às vezes é como se eu visse tudo de fora, mesmo estando ali quase no meio de tudo, o que é bom porque surgem insights e eu percebo como lido com as situações quando elas estão prestes a ocorrer.

Sei lá, ideias estranhas na minha cabeça. E falta de idéias também, preciso de algo para direcionar a energia que sinto contida dentro de mim, mas o que? rss

Preciso questionar mais, dinamizar mais comigo mesma, tudo está estagnado, e eu não me sinto tão confortável pra permitir que isso se estenda por mais alguns dias.

Uma semana repleta de clareza a todos!^^

kisses

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Wind of Preparation

Ontem primeiro dia de aula, escola nova, pessoas novas, velhas paixões.

Logo quando eu entrei na sala falaram: "bem vinda!", fiquei feliz, rss.

Eu fiquei no canto, lá no fundo, rss, não falei quase nada. De fato, se falei 20 palavras foi muito, haha.

Mas depois eles viram que eu era diferente, ou nem tanto...

Na ultima aula uma menina que estava do meu lado disse na hora da chamada: "professora, tem aluna nova!", shsuhs, dai eu tive que levantar pra falar com a professora e dizer meu nome. Não me senti mal, pelo contrário, fiquei feliz. Pra quem não sabe eu adoro ser uma dicotomia ambulante, gosto de fazer as pessoas pensarem além do óbvio, e amo ser quem sou, como sou. Vejo que muitas meninas que nasceram meninas não representam as virtudes que eu represento, nem tem a digniade que eu tenho, então ser outra não me cabe, por questão de honra pessoal, prefiro ir despertando o sonho da minha alma aos pedaços, conquistando-o. Talvez a feminilidade seja algo a ser aflorado até mesmo pelas meninas que nascem meninas, rss.

Estou sentindo que a vida está me chamando pra viver o lado 'diurno' dela mesma, e isso está fazendo germinar uma sementinha de ambição em mim. Claro que eu vejo e vivo tudo sob uma luz venusiana, como sempre, hehe.

Me sinto como se estivesse sendo preparada pra vida, pra lutar e conseguir fazer com que as pessoas entendam que eu não vou seguir pelo caminho que elas imaginam, nem mudando, nem indo pros submundos e guetos por ai... Ou melhor, indo quando eu quiser, sem dever nada pra quem quer que seja!

To alegre, quase feliz.^^

Kisses for you all!



Odeio


Quando a sua voz me alcança em meio à cacofonia
Quando o teu olhar me encontra em meio à multidão

O acalento que trazes até minha alma
O modo como embala meu coração

Odeio a paixão e o desespero
Quando nos encontramos perdidos no recreio.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Parafina Parafilica

O escuro: frio e desconhecido.

O acender de uma chama revelando a curiosidade do deleite,

O que as mãos antes não sentiam, os olhos agora vêem,

Domínio...

O gotejar da cera sobre a palidez de sedutores vales

E os picos tornam-se rubros pouco a pouco,

E em verdade não há dor, apenas prezeres sob a sombra.

Queime-os todos, um por um: os prezeres ocultos,

Queime-os para revela-los

E consuma a mais evidente ilusão de dor:

A vela chegando ao fim.

Seios e anseios

Os anseios da mulher, e as necessidades da menina. O mundo não gira mais devagar, não respeita o tempo interior. Um nascimento prematuro, e o comportamento tão maduro, é como quando chove no Jardim da Alma...

Pela madrugada eu era radiante, até minha voz estava diferente, liberta. Todos os cães do inferno puderam ouvir, e, em reverência, como se eu fosse uma lua refletida numa poça negra, ao invés de uivarem, curvaram-se.

O trânsito não era o mesmo, as cores dos semáforos enlouqueceram. Eu me desprendi da dependência, fumei menos, bebi menos, exigi menos, e tinha tudo, a menina maravilhosamente contente e a mulher orgulhosamente plena... Eu mãe de mim mesma. (:

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Ontem

Ontem eu quis te ver, e o sopro em mim se revoltava contra eu mesma.

Eu procurei e te encontrei tarde da noite quando já não restavam esperanças, e descobri... Que hoje não quero mais te ver, embora jamais esquecerei que te vi ontem.

Você me faz mal! =\

Descanse em paz. (:

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Diurna

Ontem e hoje eu tive que sair de dia, lidar com pessoas...
Nada de desagadável aconteceu, parece até que a briga que tive com a minha mãe abriu portas pra nos comunicarmos melhor. (:

Comprei um caderno pra escola, cansei de fichário (auhauha), quero só ver se aguento com caderno,
quem viu meu fichario sabe, um verdadeiro caos, um monte de desenhos nas bordas das folhas, anjos, demonios, fadas, plantas, me divertia em aulas chatas, rss.

No caderno vem escrito 'aura', quase Laura! :P

Como dá pra perceber, estou um pouco besta, nas nuvens quase, e por falar em nuvens: o caderno tem um anjinho na frente, hihi.

Ha, hoje não estou com muita vontade de escrever, estou exausta, queria abraçar alguem.


Ótima quinta a todos! =D

bittersweet kisses

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Orgulho e espelhos

Hoje briguei com a minha mãe, acontece de tempos em tempos, geralmente duas vezes por ano, hehe, triste.

Dessa vez eu quero impedir que isso aconteça novamente, não quero mais precisar dela pra nada. (:

Cansei de ser a aberração, eles sempre dizem que te amam, você só precisa se esforçar mais, muito estranha essa idéia de amor conveniente. Compreenção tem que ser mútua, senão é inutil, assim penso.


Que os deuses me ajudem, porque estou prestes a arriscar mais do que julgava necessário pra conseguir o que quero.

Talvez passe daqui a algumas horas esse anseio, mas se ele está aqui agora é porque existe uma motivação, e ela sempre vai estar latente, quer eu sinta ou não.

Que ninguém queira viver sob a incompreenção de alguém que diz que te ama, é a pior coisa desse mundo.

Beijos.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Paixão apenas para verdadeiros amantes.

Eu tentei dormir já há algumas horas, mas algo está me impedindo, uma inquietação que me abala de fora pra dentro, sinto-me bem. (:

Sabe quando a gente tem vontade de fugir, pra dentro, mas está tudo trnacado? É como se a alma precisasse explorar as paisagens que se apresentam, e se prende ao corpo por um fio prateado tão frágil como o brilho de uma estrela que se apaga.

A realidade em si mesma se recusa a aceitar que eu volte pra clausura de minha mente, e as idéias dançam palpáveis ao redor daquilo que mais almejo. Talvez esse desejo ainda incompreensível a mim mesma vá ser decifrado dentro de muito pouco tempo...

Hoje uma poça desapercebida dos cuidados de uma matriarca apresentou o despertar de um sonho, eu pude vislumbrar uma gota sobre a superfície, nadando contra, rumo à parte mais elevada do relevo, de meu próprio corpo inerte jogado ao chão, aquecendo-o.

Não há preocupações reais neste momento em que escrevo, uma camada anestésica de perfeição parece estar envolvendo meus sentimentos, até mesmo os mais incompreensíveis!

Eu queria experimentar algo que me fizesse sentir nobre, talvez abraçar publicamente alguém repudiado por todos, haha.

Lembro-me de um tempo quando transgredir era ficar lendo com duas amigas numa parte da escola que não tinha aula, éramos como bruxas, escondidas, apaixonadas por uma essência maldita por todos, que estava vividamente presente em nós mesmas. Bruna, Janaína, e eu, deixando pistas de nossas excentricidades por onde quer que passásemos, e ouvindo na manhã seguinte os comentários da pessoas que não ousavam como nós. Havia perfeição ali, nós não precisávamos combinar nada, iamos uma por uma, cada qual em seu tempo, e na realidade nunca nos distanciamos.

Estas meninas plenas que passaram por minha vida, e "se foram", deixando belos sentimentos, éramos uma, e ainda somos! Cada uma seguindo seu rumo na vida, um mais estranho que o outro, mas algo que nos une e que parece estender-se feito uma teia... que nos mantinha unidas, em separado de tudo, apenas nos deleitando nos segredos de cada uma, no canto de cada olhar, na afirmação de cada diferença enriquecendo um único solo, o paraíso bifurcado onde nossos sonhos eram carne.

Amo todas vocês, inclusive as que não citei, e sabem quem são; amo até mesmo aquelas que vislumbraram as possibilidades de nosso domínio e desejaram com a alma libertar-se, mas que por algum motivo nao fizeram...

Nostalgia, quero dormir e sonhar qualquer coisa que solidifique ainda mais essa especialidade inerente às garotas, que reconhecem amando-se e provocando-se e odiando-se profundamente entre si mesmas, como menino algum sequer jamais tentará compreender!

Desejo uma semana perfeita à todos! =***


Um poema meu^^:

"Lirismo Sáfico – O Leito de Intoxicações Púbicas


Aproxima-se pela densa escuridão

Onde dolorosamente despe-se do dia

Como um pulsante sol

Sedutor e perpetuamente vitorioso

Oculto de onde se escondem os que um dia se perderam

Chance de abandono brilhando no mais aterrador labirinto da alma

Tu reges o augúrio tímido

Tu garantes inspiração nobre e repentina

Ah!

Pudera eu te chamar para mais perto

Ó amiga da aurora

Ó companheira da alvorada

Eu rasgo teus véus com a sede de mil bestas campestres

E teço-os com ouro da idade desconhecida do Homem

Rege sobre nossas coroas de violeta

Conduz o desperdício em nossos desejos àquela terra maravilhosa de eterno despertar

Venta sobre nós aquela brisa de violência resplandecente

Rege sobre nossos pés descalços antes que a idade da razão chegue

Apodere-se da fertilidade em nossos castos véus

Tu justificada e atônita

Aquela que primeiro caminhou com patas abomináveis

Na dançante proscrição dos deuses cruéis"

28/12/2006

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Normalidade

Imagina se você acordasse no corpo de uma pessoa de outro sexo, que não daquele que você sente pertencer. Assim sente-se um transexual antes de transicionar competamente, todos os dias.

Hoje o dia está reflexivo, como se ouvessem duas luas refletindo a luz de quatro sóis em uma única terra, rss.


Uma conversa recente no msn:

Menino pergunta pra mim (MPPM): posso fazer uma pergunta de ignorante no sentido de ser burro.. é sobre transexual....perdoe a minha ignorancia..e a de muitos acho...rrs

Eu respondo pro menino (ERPM): hehehe, pode sim

MPPM: assim vc nasceu menina ..mas naum ter certeza do seu sexo...? mais ou menos isso..?...

ERPM: vou te explicar... primeiro eu vou fazer umas perguntas okay?

MPPM: ok... manda

ERPM: o que é uma menina pra vc? o q torna alguem uma menina? o comportamento, a anatomia, ambos...?

MPPM: vaidade feminilidade... sem falar da foerma fisica..corpo delicado... com curvas...com seios uams nem tanto...rsrs o rosto fino...

ERPM: hmm, entendi. quando voc me ve, e tc comigo, o q voc ve/sente com relação a mim?

MPPM: pra mim vc é uma mulher .. em todos os sentidos..

ERPM: hmm, agora sim... vou te explicar. transexual eh alguem q está transicionando d um sexo para outro. porq tem uma mentalidade q nao corresponde com a anatomia. pod ser um ser com vagina mas com cerebro d homem, com sentimentos masculinos, ou vice versa.

MPPM: entaum seu corpo e de uma mulher mas sua mente de um homem... ou ao contrario..?

ERPM: o contrário.

MPPM: meu que foda heim... mas meu... vc é uma mulher..até seu corpo é muito perfeito

ERPM: 'existem mais coisas entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia'

..., ...



Algo que eu reparei e acho interessante comentar é que ponto de vista dele na conversa denota o quão visuais os meninos são, porque mesmo afirmando que ele me vê como uma mulher, ele cai em contradição, porque não sabe distinguir se eu sou Male-to-Female ou Female-to-Male.

"O que é real afinal de contas? O que define a realidade?
Percepção, concepção, decepção...?

'Vida de cão'."

Como é ruim ter provar pros outros o que se é, como é mais ruim ainda ter que ser o que os outros querem que você seja. As vezes penso que é tudo uma grande armadilha, não vivo, apenas me previno.

Odeio me sentir santa, separada da normalidade, porque sou sempre uma surpresa, e as passoas parecem ser todas iguais.

Será que estou condenada a atrair as pessoas e depois repelir com a mesma paixão?
Ou pior: se terei que me contentar em ser uma amante anônima sempre?

Mesmo que não seja pra sempre, cada dia é quase insuportável, quando se sabe das coisas.

"se o céu fosse uma maçã, e meu apetite devorasse o universo, ainda assim: saciada, eu quereria na maçã um verme para exceder, para me apaixonar..."

Bom findi a todos! =)


ps.: ele já teclava comigo há algum tempo, e já tinha visto meu orkut, preguiça de lerrr, uahuahauh =P

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Realidade Transexual

Vou colar trechos de um texto que acho excelente sobre os fatores que determinam a transexualidade, os pontos que eu achei mais esclarecedores. Acho importante para que as pessoas reflitam, principalmente aquelas que lidam com transgêneros de um modo geral, não necessáriamente transexuais, entenderem que com transexuais o buraco é mais embaixo, só estamos transexuais enquanto não nos readequamos totalmente, afinal o que estariamos a TRANScender após a transição ter sido completada (sexualmente falando)?! ;)


"Hoje nós sabemos, depois de Doner, Raisman e Field, Pfaff, Gorsky e muitos outros, que estudaram ratos; Bonsall, Michael, Pfaff, Pomerantz, Sholl, Ayoub, Goy, Resko, Connolly, Clark, entre outros, que estudaram os macacos rhesus; Doner, Swaab, LeVay, Pfaff, Gadue, McEwen que estudaram nos humanos, descobriram que o nosso Sistema Nervoso Central (SNC) tem anatomicamente um sexo, e esse sexo é neural e gravado em nosso corpo, sendo localizado em áreas sub-corticais; e essas áreas nunca mudarão depois do nascimento. Ninguém aprende a ser um gato, ou a ser um cachorro. Ninguém aprende a ser um cisne ou um pato, todas as crianças sabem quem são. Ninguém aprende a ser um menino ou uma menina.

Nosso sistema neural sub-cortical (hipotálamo, terminal de estria e amígdalas do límbico) gera em nosso ego, disposições inatas, ou dispositivos de imagem (Damasio), incluindo nossa pré-disposição de identidade de gênero. Aquela pré-disposição define em nosso ego, nossa identidade de gênero interna e real, nosso real e verdadeiro sexo.

Biologicamente pessoas normais não têm nenhuma discordância entre a sua conformação genital e a sua pré-disposição de identidade de gênero ou sexo verdadeiro. Pessoas portadoras de neurodiscordância de gênero têm os órgãos genitais em discordância com a sua identidade de gênero, com o sexo inato gravado no corpo neural deles/delas.

Se alguém é um neurodiscordante de gênero, o mais cedo possível "ele" ou "ela" têm o direito, como ser humano (e um ser humano defeituoso), de ter o auxílio para realizar a correção necessária e possível, para obter, desta forma, o maior respeito, uma vida digna e normal dentro da sociedade.

O neurodiscordante de gênero, neurobiologicamente um macho ou fêmea, tem o direito de ter o corpo corrigido o mais cedo possível, para ter e levar a vida o mais normal possível.

Machos neurobiológicos (fêmeas genitais) e fêmeas de neurobiológicas (machos genitais):

A melhor definição do sexo do paciente, e de cada ser humano é muito importante, e hoje muito controverso. Como hoje podemos definir o verdadeiro sexo de alguém? Com o aparecimento externo do genitais, como na Idade Média? Ou quando alguém usa vestidos ou artigos de vestuário? Ou baseado na classificação feita por alguém que classifica uma criança, antes de que a criança pudesse expressar sua conformação neural interna, imagens inatas internas e pré-disposição?

Nós estamos em 2000, não mais nos cinqüenta, quando algumas pessoas pensaram em hormônios, geneticismo e neurônios como elementos importantes para estabelecer a identidade interna de gênero.

Hoje nós sabemos, que a nossa identidade de gênero é neural, inata e somática. Nosso sexo é nosso sexo neural. Assim, machos genitais podem ser neurobiologicamente reais fêmeas, e vice-versa.

Como em algum dia, pelo século XVII, Galileo e Copérnico mudaram nossos referenciais astronômicos, cosmológicos e o mesmo Kant no século XVIII em filosofia, hoje a neurobiologia está mudando o ponto referente a definição do sexo. O verdadeiro sexo é o neural, o psicossomático e não o genital. Para todo o neurodiscordante de gênero, é muito importante ser reconhecido socialmente pelo seu sexo neurobiológico, e não pelo sexo genital.

Infelizmente hoje, todas as Constituições, de todos os países, ainda usam o sexo genital para definir o sexo do indivíduo. Eu espero, um dia, que esta situação mudará e todos as pessoas serão reconhecidas pela sua identidade de gênero, pelo seu sexo hipotalámico e neural, até mesmo pela lei.

Hoje nós sabemos que um neurodiscordante de gênero fêmea (neural fêmea) teve dois problemas durante a sua gestação trabalhando juntos: um genético e o outro, endócrino. O fator genético é reconhecido como o receptor de andrógenos com baixa intensidade, e/ou receptor de estrógenos de intensidade. O endócrino, é uma quantia pequena de andrógenos no cérebro durante a diferenciação do sexo neural (entre 4º e 7º meses da gestação). Esses dois fatores que trabalham juntos são suficientes para não masculinizar o cérebro, até mesmo quando os órgãos genitais sejam masculinos.

Assim, a insensibilidade e/ou baixa recepção de andrógenos/estrógenos podem ser uma característica que depende de fatores hereditários populacionais e/ou raciais. Algum tipo de famílias, ou populações ou alguns tipos de nações poderiam ter pré-disposição mais genética para ter aquele tipo de síndrome.

Um outro fator, é a quantia de andrógenos no fluxo de sangue ao cérebro durante o 4º e até o 7º mês de gestação, hoje nós sabemos que isso depende da condição emocional das mães!

Estresses patológicos em mães torturadas por diversos fatores, terão mais probabilidade para ter meninas com neurodiscordância de gênero. Nós vivemos cada vez mais em sociedades opressivas para as mães. A quantidade de meninas com neurodiscordância de gênero está aumentando, e provavelmente aumentará cada vez mais. Na Holanda, a Harry Benjamin´s Fundation nos informa que, o índice de meninas com neurodiscordância de gênero vem aumentando de algumas décadas até hoje, a razão de 1:37000 para 1:11900; e no caso de meninos com neurodiscordância de gênero, de 1:107000 para 1:30400!

As causas biológicas de meninos com neurodiscordância de gênero não são bem entendidas ainda hoje. Provavelmente, os cérebros são masculinizados pela exposição a uma quantia grande de estrógeno no feto, circulando no fluxo sangüíneo durante o período crítico da diferenciação do sexo no cérebro, causado por uma atividade precária da placenta ao filtrar o estrógeno, mas ninguém está seguro sobre isso hoje. Mas os meninos com neurodiscordância de gênero também estão aumentando mais ou menos, em alguma proporção como as meninas com neurodiscordância de gênero.

É muito importante que nunca se confunda neurodiscordância de gênero, um síndrome, algo eminentemente biológico, um tipo de intersexo, com travestismo, "crossdressing" ou "drags".

Travestis, "crossdressers" e "drags" não possuem disforia com seus próprios corpos, assim como com seus órgãos genitais. Eles só são artistas de certa forma, ou às vezes apresentam uma disforia com a sociedade, mas não com eles próprios. Eles nem apresentam todo o síndrome e normalmente, nenhum problema médico.

Há muita confusão hoje, e isso deve ser explicado e deve ser eliminado definitivamente. Há muitas coisas que nós podemos classificar como disforias de gênero. Homossexualismo pode não ser classificado como desordem de gênero.

A descoberta dos macacos de bonobo no Congo, e o último resultado das pesquisas com os bonobos nos mostra, inequivocamente que, a bissexualidade e o comportamento homossexual são padrões psicossociais e nunca algo biológico.

Hétero, homo e o comportamento bissexual são algo social e cultural e não algo biológico.

Porque um homossexual é ativo/passivo ou porque um homem gosta de travestir-se como uma mulher? E colocar peito de silicone, mostrar alguma feminilidade externa?

Eles amoldaram seus cérebros, eles são biologicamente machos normais, e nunca mulheres com neurodiscordância de gênero.

Fetichismo, trauma, uma imaginação desenvolvida, nós não sabemos. Mas é algo social, psicossocial, e não um cérebro feminino com órgãos genitais masculinos. E geralmente eles têm outras características...

Cérebros masculinos com órgãos genitais masculinos.
Eles são ativos/passivos e não só passivos sexualmente com homens.
Eles mostram sempre alguns aspectos eminentemente masculinos.
Eles nunca pretendem realmente ser reconhecidos como mulheres.
Eles não gostam da idéia de realizar a cirurgia transgenital.
Eles mostram uma aparência externa feminina e nunca sentimentos internos femininos.
"


O texto integral pode ser lido aqui: http://www.bccclub.com.br/artigosteses/neurodiscordancia.htm


Beijos à todos que lerem! =***

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

A [minha] Vida precisa imitar a Arte!

Existem amizades coloridas: algumas a tinta está seca, e resta uma bela pintura; outras a tinta ainda está molhada e vamos retocando, reorganizando... Eu só não consigo pintar mais de uma tela ao mesmo tempo, num mesmo nível, não ouso julgar se é um defeito ou uma qualidade.

BTW, estou bem!^^

Vendo mais simplesmente tudo, vendo a essência das coisas apenas, e isso é deleite para a alma.

Sobre a escola, vou continuar sim, só não sei como vai ser depois que eu terminar... Agora fiz minha mãe entender que sou transexual, saber da minha boca só minha avó sabia, agora as duas. Reações normais, ela ja devia saber mesmo (eu ficaria admirada se ele estranhasse), hihihi. ;P

Estou percebendo também que a cada relacionamento, cada experiência que vivencio em que me relaciono com alguém a um nível mais ''colorido'' (hehe), eu fico melhor em fazer com que tudo comece bem e acabe melhor ainda, como diria o poeta: eterno enquanto dure.

Ou como prefere Laura: lindo enquanto dure.

Sim, eu me importo (muito!!) com a durabilidade das coisas, como elas permanecem mesmo depois que são concluídas. Está tudo se exclarecendo, estou assimilando muito, algo que (como só agora percebo) só é possível quando colocamos as idéias em prática.

Beijos pra todos, e uma semana excelente! =D


Ps.: ontem à noite tudo melhorou, como eu intuía, hihi...

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Vulnerabilidade

Queria alguém só pra mim. Alguém pra conversar e beijar, pra compartilhar tudo o que é bom, e superar o que não é. Alguém que demonstre o que não diz e diz o que não demonstra.
Parece que eu só gosto de quem não gosta de mim, raiva!

Hoje estou sorrindo e com o olhar triste de sempre, vai entender... Espero que eu melhore à noite, geralmente isso acontece. ^^

Enquanto as coisinhas mais obscuras ainda se agitam em minha mente.


[ouvindo: die form e flesh fetish]

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Serpenta

De nada adiantará fazerem silêncio agora, as pessoas que blasfemaram antes. Não e não.
Estou fazendo as pazes com o Tempo. :P



"Apenas um sentir
Duplicado

A submissão
E o medo

Conciliados lado a lado
Na balança da perfeição

Equilíbrio nove vezes desejado
Liberto de fora pra dentro

Uma dança que a prepara por inteiro
E feitiçarias provocantes para prolongar

Com fogo para fortalecer a preciosidade
E consumir as impurezas

Mas há um "vento ruim que sopra"
O murmurar de outras como ela, porém infinitamente diferentes

A maldita cacofonia de harpias brutalmente esculpidas
Que piam lamentantes sobre o mar de suas próprias lágrimas"


[ouvindo daemonia nymphe, musica inspirada na grécia helenica^^]

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

About Time

Começando a pensar no que vou fazer quando terminar o colegial (sim, eu repeti de novo, hihi)...
Mais um semestre e termino! (:

Muita coisa vai acontecer até julho e pode mudar totalmente o rumo daquilo que eu pensava, como já fizeram as que aconteceram até agora.

Não quero ir pra rua, sei lá, não é pra mim. Preciso pensar em algo em que não haja muita discriminação, mas estas quase sempre estão relacionadas à estética e tal, mais um gueto... :\

Bom, ao menos não me pressionam tanto quanto a isso aqui em casa, por enquanto, hehe.

Nha, essas coisas que cortam a vibe da transição, mas não vou interrompê-la por nada nesse mundo, nem que eu tenha que ir pra rua, e morar sozinha, é a vida!

Um ótimo findi pra todos que lerem^^

[Laura pensando na vida, quem diria, rss. E ouvindo repetidamente 'cant find my way home - sneaker pimps', e 'bring me back a dog - iamx'.]

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Sétimo Selo

Os sinos pararam
O choro foi silenciado

Eu só posso sentir as contrações
Desse parto por todos maldito

O parto de mim mesma
Por mim mesma

A mais temida geração
Banhada pelo mênstruo da Mãe de todos os prazeres

E adornada por pedras preciosas
Brutalmente cobrindo as cicatrizes

O grande mar se agita
E seus frutos emergem regenerados sob o luar pulsante refletido da pupila de uma loba ferida

O desvelar de cada pecado
Como uma virtude

O novo Éden está aqui
E nós revolveremos os restos dos ancestrais para remover cada cobertura de vergonha

Eu sorrio escondida
Sob a forma de muitas mulheres

Com navalhas afiadas na boca
E com lábios envenenados

Eu tinjo minhas vestes de escarlate com o sorriso libertador de milhões de abortos
Anjinhos em meu céu

Não tenha medo
Tenha...

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Lines

Vontade de apagar as linhas, ou de entortá-las.
Linhas que delimitam e separam, dolorosamente.

Sei lá, acho que todo esse tempo que esperei por alguém, esse alguém também pode estar esperando por mim, hora de agir novamente, hihihi.

É isso, ótimas notícias no meu mapa astral a partir de hoje, tomara que saturno dê uma trégua pra venus hoje, essa semana, rss.

Algumas experiências novas e bem fora do comum, mas que eu adoro, me animam um pouco mais, hehe.

Sábado conheci alguém legal, muito compativel, até em pontos que ninguém sabe sobre mim... mas quem dera a vida fosse tão simples, a minha timidez acaba empacando algumas coisas. Essa semana quero ir além, preciso.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Inanna's Blessing II

Gotejando da mais alta hoste nos céus
Para dar sustento à toda majestade
Designada pelo encanto de seus dedos cintilando

Ó Deusa branda e abrasadora
Sobre minha mão a Tua graça para sempre

A hoste onde repousas é desconhecida de todas as outras
Posto que é densa como nenhuma outra
É combinação desconstruída de todo trono onde toda majestade sobre os céus descansa

Ó Deusa branda e abrasadora
Sobre meu olhar o Teu desvelar para sempre

És o ranger no dobrar dos joelhos do altíssimo
Ó sucúbo do próprio deus mais alto entre as hostes conhecidas
Estrangula-o pelo prazer secreto e pelo desejo proíbido

Ó Deusa branda e abrasadora
Sobre meu sangue a Tua potência para sempre

Amém.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Espreita

A formosura de tua forma balançava entre os galhos da Árvore do Conhecimento
Disforme, presa por diamante e ouro
Liberta por rubi e prata

Teu jubilo tão sereno confinado na violencia
Forjando as tempestades que viriam
A guerra nos Céus

Teu nome o sussurro embriagado do ermo
Que segue espelhado e límpido
Entre a astúcia e a armadilha

Foge!
Para longe
Onde deus algum que não ti mesma a encontre

Chora os desígnios secretos de tua mãe
Para fora da Morada Santa
E de fora no profano para dentro as maravilhas, somente as maravilhas

Para parecer
Para ser
Para tornar-se.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Mérito

Desperto a cada amanhecer
Sempre pronta para realizar mais uma parcela do sonho que minh'alma sonha
O sonho lesbiano refletido no mênstruo onírico do pesadelo de meu Deus
Eu me apaixono como uma mulher
Sem medo
Porque o que para muitos é uma dádiva condenada ao conformismo
Para mim é o destino mais almejado
E conquistado aos pedaços
Com o labor que forja os desígnios estendidos de eternidade a eternidade
Os desígnios secretos de uma natureza indiscutível
A natureza da alma.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Advento [Yellow Flowers] 17 de janeiro de 2007

As estrelas da terra

O abalar de toda estrutura

Um “Novo Éden”

Onde o Anjo ascenda

Onde a cobra voe

Onde a costela seja reintegrada

Onde a alma seja liberta do corpo

Onde a realidade seja o sonho mais amado

A Luz de nosso olhar

A Sombra de nosso toque

O Apocalipse a cada entardecer



quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Supernal Nourishment

"Uma magnífica vulva abriga o olho de um proíbido deus,
O mênstruo e o prazer contido,
Flamejantes e perpétuamente...
...Para fortalecer"

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Fraqueza e Olhos Áridos

Estou ficando sem forças pra lutar, o ideal parece distante demais, estou literalmente triste. Vou me ausentar de algum modo de tudo, não sei como, mas vou, preciso... Quero me isolar, mas sei que tem pessoas a contar comigo nas alegrias e nas tristezas, não sei até onde aguento.

Será que as pessoas que dizem me compreender realmente compreendem? Com relação a algumas não tenho dúvida, quanto a outras parece-me que entendem de uma maneira errada.

Preciso sentir uma fração da plenitude, preciso saber que vou chegar; e se não: me basta morrer.

Não estarei preparada para ir adiante, em todos os sentidos, enquanto não tiver completado a transição, fato!

"Inverno aqui dentro
Inferno ali fora."

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

...

Queria ser o Amor.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Cultivar a Beleza...

...Como a mais cara rosa.



Dia estranho, oscilante demais...

Mas já estou melhor, cuidando da aparência, relaxando a mente; só o cigarro atrapalha! :P

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Infantia

Quando eu vou crescer?

Quando irei cansar de fazer papel de adulto?

Será que eu realmente quero crescer?

Queria mesmo é ser criança pra sempre...


"Dolorosamente,
As flores do mal estão desabrochando
No frio do canto mais escuro do Éden"

"Ó eu que tanto sofro
Sou mesmo a causa do sofrimento de outrem"

sábado, 5 de janeiro de 2008

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Questionamentos sobre a adversidade

Muitas pessoas devem se perguntar o porque da nessessidade do indivíduo transexual desejar modificar o corpo de modo que se enquadre num contexto socialmente exaltado, o da mulher e do homem 'gostosos', já que independe de fatores sociais o fato de as caracteristicas anatomicas determinarem o genero de alguém, mas porque a adequação corpo-mente deveria obedecer os padrões perpetuados pela sociedade machista e consumista na qual vivemos?
Bem, é um fato triste(?) que muitos transexuais se deixam influenciar por padrões de comportamento que os tornam vítimas de sua própria condição, eles mesmos acabam apresentando tais comportamentos atiquados (o machismo sendo o mais evidente). Entre os transexuais masculinos (FtM), ao meu ver, há uma conscientização maior quanto a isso. Muitos podem entender isso como algo que ateste que o nosso gênero biológico influencie nosso modo de pensar, socialmente falando, mas não! O fato é que as vezes somos levados a agir de acordo com o papel que a vida nos apresenta para sobrevivermos e juntarmos forças para a realização pessoal num momento mais oportuno, isso me parece bastante inteligente!

A minha opinião sobre mim mesma é a seguinte: eu, como transexual que estou, vivo numa fase transitória, e é dificil para algumas pessoas levarem a sério, principalmente aquelas que apreciam-me como um garotinho sensível, que não vêem nessessidade de eu querer mudar fisicamente. Mas este é o único caminho para eu ser uma pessoa plena capaz de lidar tanto com as coisas agrádaveis como com as nem tão agradáveis da vida da melhor maneira possível.

Todo ser humano possui um homem e uma mulher dentro de si, mas o desempenho desse feminino e masculino em cada um difere e determina o comportamento do indivíduo, algo que nem sempre corresponde às espectativas dos outros no modelo de vida perfeito mas ineficiente chamado 'sociedade-atual'.

Estou trabalhando isso agora para não ser vítima de mim mesma e não perpetuar valores que dificultem a vida de outras pessoas incompreendidas, para compreender aquilo que eu achava que poderia ignorar para sempre, mas mas não pude.


O objectivo da vida é fazermo-nos evoluir a nós próprios. Descobrir perfeitamente a nossa própria natureza – é para isso que cada um de nós está aqui.” -Oscar Wilde- , “O Retrato de Dorian Gray”.

A Cicatrização Luminosa

Feridas escuras
Queimando na velocidade da Luz

Nós devoramos rapidamente
E o sabor se esvai

É como a batida falha do coração partido
E remendado por fadas entorpecidas

A medicina envenenadora de sonhos
Pode nos fazer despertar

Nós devoramos um ao outro
E você sabe que eu sou o perigo que percorre a sua espinha como um calafrio

Eu não vou ferir mais nem uma parte de mim
Que eu te dei

Agora eu sou um problema seu também
A caixa está aberta para que observe o mal definhar

Não conte a verdade comigo
Conte para mim.

"Sob a linguagem do poeta jaz a chave do tesouro". Nizami

A linguagem do Artista, que mente e revela, resguarda e presenteia, é assim, una, não dual, mas completa.

'Ihy Maut! Ankh-na-Maat.'

"Ele que é iluminado com a mais Brilhante Luz moldará a mais Escura Sombra; Ele que é iluminado com a mais Escura Sombra brilhará com a mais Brilhante Luz."
-A. D. Chumbley-