sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Definições

(As informações no texto a seguir que são provenientes de fonte externa foram antes checadas por mim e estão de acordo com o que eu penso, como evidenciado nos comentários.)

Sobre o gênero:

Género (Gênero no Brasil), refere-se às diferenças entre homens e mulheres. Ainda que gênero seja usado como sinônimo de sexo, nas ciências sociais refere-se às diferenças sociais, conhecidas nas ciências biológicas como papel de gênero. Historicamente, o feminismo posicionou os papéis de gênero como construídos socialmente, independente de qualquer base biológica. Pessoas cuja identidade de gênero difere do gênero designado de acordo com o sexo são normalmente identificadas como transexuais ou transgêneros.” (Fonte: Wikipédia)

A identidade de gênero, como o nome diz, refere-se ao gênero com o qual a pessoa se identifica, e não necessariamente precisa corresponder ao que é definido culturalmente como o que deve ser seguido, de acordo com o sexo biológico do indivíduo (masculino/macho ou feminino/fêmea).

Sobre o sexo:

A espécie humana apresenta dois sexos e, falando num contexto do que é perceptível, o que caracteriza o sexo são os genitais e as características secundarias (como o desenvolvimento das mamas nas femeas, e a presença de pelos em determinadas partes do corpo, notadamente o rosto, o tórax e as costas nos machos).

Quanto aos genitais (órgãos sexuais que estão diretamente ligados à reprodução e também às relações sexuais com ou sem o intuito de reprodução {recreativamente}), temos os machos com genitália externa e aparente, e as fêmeas com apenas parte da externa/aparente genitália (a parte interna correspondendo ao útero, etc.).

Existem pessoas que mesmo sendo do sexo masculino, apresentam um comportamento condizente com aquele que é atribuído ao sexo que pertencem (transexuais). Há ainda pessoas que não se identificam totalmente com algum destes, ou que mesmo havendo uma identificação ela não é tão fixa ou definível assim (transgêneros).

Portanto, a identificação do indivíduo com um gênero atribuído ao do sexo oposto daquele que o mesmo pertence não é um sinônimo de que a pessoa possui esta ou aquela orientação sexual e muito menos determina isto.

Sobre orientação sexual (e a questão dos T-lovers):

A orientação sexual indica qual o gênero (e.g. masculino e feminino) que uma pessoa se sente preferencialmente atraída fisicamente e/ou emocionalmente.

A orientação sexual pode ser assexual (nenhuma atracção sexual), bissexual (atracção por ambos os gêneros), heterossexual (atracção pelo gênero oposto), homossexual (atracção pelo mesmo gênero), ou pansexual (atracção por diversos gêneros, quando se aceita a existência de mais de dois gêneros). O termo pansexual (ou também omnissexual) pode ser utilizado, ainda, para indicar alguém que tem uma orientação mais abrangente (incluindo por exemplo, atracção específica por transgêneros)." (Fonte: Wikipédia)

Importante salientar que o termo "orientação sexual" indica o gênero (e não o sexo, masc. ou fem.) que a pessoa sente-se atraida, no sentido de amor erótico.

Assim sendo, concluímos que independente da realidade sexual da pessoa, o que conta no quesito atração é o gênero que identificamos o parceiro, no qual ele está inserido, e no que se apresenta. Os atos sexuais (no contexto recreativo) que são praticados também independem do gênero, quando muito por questões culturais, mas são definidos realmente pelas preferências da pessoa, apenas.

Sobre os t-lovers. Bem, o termo em si abrange homens que sentem-se atraídos eróticamente tanto por transgêneros quanto por mulheres transexuais, mas apenas no contexto pornográfico! Já que surgiu entre os consumidores desse segmento (o das 't-girls') da indústria pornográfica, fato.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Paz de Espírito - Ankh na Maat

Todos os seres humanos possuem, em potencial, numerosas tendências e faculdades que ficam em estado de vigília. As experiências vividas por um indivíduo, o exemplo dos mais velhos, os princípios inculcados pela educação, a censura do meio social, fazem com que apenas algumas dessas tendências
e faculdades possam expandir-se, resultando daí a criação de uma personalidade aparente, diferente daquela que ele poderia ter tido, se o acaso o tivesse colocado num meio onde os valores morais e os princípios admitidos tivessem sido diferentes.

- Pierre Fatumbi Verger




não nascemos preconceituosos
não nascemos com raiva ou ódio
não nascemos com inveja...
mas nascemos com medo.
... alguns criam coragem para enfrentar o medo e compreender a verdade
outros são covardes e continuam temendo e invejando, temendo e odiando, temendo e pré-conceituando.

99% daquilo que as pessoas dizem odiar se encontra igualmente nas pessoas que elas criticam e nelas mesmas.
99% do que as pessoas afirmam não ser é o que elas são.

o não ser inexiste, não pode ser afirmado. o ódio só é nutrido por algo que nos é íntimo. alguém já deve ter dito isso, anyway.

"Sob a linguagem do poeta jaz a chave do tesouro". Nizami

A linguagem do Artista, que mente e revela, resguarda e presenteia, é assim, una, não dual, mas completa.

'Ihy Maut! Ankh-na-Maat.'

"Ele que é iluminado com a mais Brilhante Luz moldará a mais Escura Sombra; Ele que é iluminado com a mais Escura Sombra brilhará com a mais Brilhante Luz."
-A. D. Chumbley-