quarta-feira, 25 de março de 2009

O Calor que Brilha no Escuro

A luz apagada e o brilhar da ousadia
O abandono da roupa e o revestir da fantasia
Lado a lado a respiração se ouvia
O prazer secreto oculto dos olhos do dia

Devolvi-me aos teus braços
Eu presa em teus laços
Ambicionando o abraço
Que flui sem embaraço

Sobre o meu corpo o teu
E o meu corpo todo seu
No encontro do desejo e do breu
Prazer oculto envolveu

Minha boca deleitava
A delícia que ornava
Do teu membro que ostentava
O poder que me alinhava

Mas o desejo que é alimentado
Não é tão facilmente saciado
Como é fomentado
O apetite alvoroçado

E o modo como sua língua minhas curvas percorria
Exacerbando a alegria
Do corpo que explode e extasia
Ardendo na noite mais fria

Segura minhas ancas como só você sabe
E guia o meu prazer com rédeas de ouro
Cavalga os meus sentidos até a distância do infinito
E traz o néctar mais profundo para brindar o nosso amor

Luxuriante e fecundo
O fundir que nos conecta num segundo
E penetra o aconchego rotundo
Entre o gozo que nos arrebata do mundo

segunda-feira, 16 de março de 2009

Virtude, Justiça, e Gratidão

É preciso olhar com os olhos de uma criança e perceber as coisas boas que o Senhor nos proporciona, e saber que quando não as enxergamos é porque estamos cansados e não procuramos a fonte da força que é o Altíssimo. As coisas que o Senhor nos reservou a nós justos são grandiosas e capazes de nos suprir e garantir que a fé construa a realidade perfeita, que é o reflexo de seu Reino na carne.

O Senhor é justo, e os virtuosos são gratos por isto. Porque Ele nos faz capazes e pensantes para sermos capazes de cultivar tudo aquilo que necessitamos e colher, e assim nunca haverá tempo de fraqueza nem fome, porque se a terra não da os frutos, nós podemos cultiva-los, podemos aprender a nos guiar pela criação, e criar. Nós somos a imagem e semelhança daquele que é a Mente Perfeita que só projeta perfeição.

Não projetemos n'Ele limites ou modéstia, porque isso são reflexos de nossas inseguranças quando estamos cansados.

Sejamos fortes, porque temos força, sejamos amáveis, porque une e fortalece ainda mais, sejamos virtuosos porque somos imagem e semelhança d'Ele.

Sempre há a redenção de nós mesmos através da consciencia divina que habita em nós, cujo despertar é a unção crística d'Ele para conosco enquanto seus filhos, coroa de sua criação.

Se pecado é restrição, e pecado aprisiona, sejamos livres. Se a alegria restringe, então que ela seja trabalhada para ser verdadeira, pois a alegria liberta, e alegre é aquele que é virtuoso, pois ao seu lado é o favorecimento do Senhor em seu julgamento.

Sejamos gratos por tudo isto, e pacientes, porque a paciencia é a arte do sábio, que sabe esperar o tempo certo para plantar e para colher as coisas boas que o Senhor nos permite cultivar.

Amém.
LML

sábado, 14 de março de 2009

Vivisecção

Eu fecho os olhos para o dia claro do corpo, e os abro para a noite escura da alma, e então toda sorte de atrocidades e viceras e nojos me é revelada, para que eu compreenda:


A obra é a essência do artista, ou o artista é essencialmente uma obra de arte?

Deus é o potencial criativo livre da realidade física e da realidade emocional do Homem. O Homem cria seres animados, as máquinas.
A ave voa, mas será que ela observa a paisagem?
O Homem é o único animal capaz de experimentar a beleza por prazer, livre de motivações instintivas ou de sobrevivência. A não ser que seja instintivo do Homem fazê-lo, e se isso não é coisa de animais, é coisa de Deuses.
Por ser um potencia manifesta a um nível além das limitações físicas biológicas e orgânicas, a Mente Criativa no Homem é Deus, e tudo pode sobrepujar. O Homem é frágil, mais suscetível ao clima e mais facilmente agredido por seu ambiente do que os animais, mas mesmo assim ele povoa todos os cantos do planeta. O Homem não tem asas, mas voa; não tem guelras mas mergulha, ET Cetera.

O que torna tudo isso possível é a Fé Verdadeira. Que consiste em acreditar na possibilidade daquilo que se almeja por prazer mais que por necessidade, e acreditar sem limites, sem se deixar dominar pelo medo ou pela dureza da realidade concreta, porque não importa quão dura for essa realidade, a matéria prima para todas as grandes realizações que a podem tornar mais flexível e prazerosa são provenientes dela.

Deus é o Homem liberto e transcedido de sua realidade animal. O Diabo é o homem preso e limitado pela mesma.

Mas e quanto ao Espírito, à Alma?
O espírito é o sopro, o ânimo, a espectativa, e depende do físico para se manter. A Alma é a personalidade emocional/sentimental do corpo animado (dotado de Espírito).

Mas o Intelecto é a razão das coisas serem como são. A Alma é o motivo, e o Espírito é o impulso.
O Intelecto possibilita a sustentabilidade das coisas, e sem Ele nada seria passível de realização bem-sucedida. Se não houvesse Inteligência no processo de Criação, se ouvesse apenas emoção, nada seria tão milimetricamente perfeito, e organizado, e calculável. E essa inteligência primordial e incorpórea e inanimada, é Deus, e criou o Homem só pra poder comtemplar a si mesma em suas criações, e poder deleitar-se nelas. Deus é a experiência do prazer sublime, não por simples Instinto de Sobrevivência, mas por Amor.

Concluo que, a Inteligencia Emocional e o Raciocínio Lógico são pares em importância. Mas não em questão da ordem que elas precisam ocorrer. Se a Inteligencia Emocional mantém as coisas criadas em Equilibrio, o Raciocínio Lógico é necessário para organizar e combinar os elementos brutos a fim de possibilitar a consciencia ter uma casa, uma casa de espelhos onde são refletidos e multiplicados graficamente os potenciais no desenrolar dos acontecimentos, suas proporção e noção de harmonia. Portanto, se Deus fosse passional antes de ser lógico, ele não Existiria. Portanto nada tenho que temer. Deus esteve no Inferno antes de mim e mesmo assim a tudo projetou e foi bem-sucedido. E os Homens tem o Diabo no Céu de suas vidas, e estão vivendo e se superando. Eu já venci em Deus, e ele há de vencer em Mim.

Escrito por mim.

quinta-feira, 12 de março de 2009

Ordálio

Quanto mais preciosas as pessoas
Mais severo é o processo de lapidação das mesmas.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Fatalidade

D'us me fez amável e amorosa
D'us fez o amor para curar
D'us fez o homem para machucar

D'us me fez forte
Para resistir à dor
E aguentar a alegria

D'us me fez sensível
Para engolir o choro
E exaltar o sentimento

D'us me fez mortal
Para sofrer as delícias do viver
E temer a morte

D'us me fez assim mal feita
Para ser bondosa
E amar os que não são

E o que fiz eu, deste D'us Supremo
Para compreender seus desígnios de tal maneira
Que o sofrimento seja a polpa dos frutos que eu deleito?

Que fiz eu antes de nascer
Que possa ser lembrado e concertado
Que possa mudar o rumo da morte?

Que fiz eu
Senão ser feita
Imperfeita?

Se alguém ama a perfeição
Ama então o desconhecido
E conhece quem não ama

Mas eu amo o que conheço com perfeição
Eu amo os excessos e as faltas
Amo desenfreada e loucamente e sangrante

Amo feito o D'us
Que mesmo imperfeita
Me manteve como um potencial de perfeição até o fim dos seus planos, e até o início dos meus.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Percurso

O meu corpo que caminha
Este corpo que se deita
Este corpo mesmo quando se cansa
Quer ser percorrido, quando encontra o seu

O meu sentido que explode
Nste corpo que pulsa
Este corpo quando se acende
Esquenta até se fundir, quando encontra o seu

O meu corpo material
Este atestado físico de limitações carnais
Esta sombra certeira que convida
Pode brilhar e vislumbrar a infinitude de possibilidades, quando encontra o seu

O meu desejo secreto
Nesta mente que voa
Esta vontade vociferante nos lábios fechados da inocênciaa
Denuncia a si mesma sua vontade de conhecer o pecado que liberta, quando pensa em você

Na luz
A percepção se aguça em rendimento ao prazer
E até mesmo no escuro
Tateia a paixão escaldante, quando te sente

E o percurso do prazer é guiado pelas suas mãos douradas
Como se enxergassem as rédeas invisíveis da voracidade que espreita em meu olhar
Que devora o tempo na viajem para o sonho que desperta onde a realidade se alimenta feito um néctar que escorre pela paisagem dos nossos corpos se encaixando
Com a fome de mil leões e o calor de mil sóis

A força dos continentes se abraçando
A determinação dos mares
O equílibrio das estações
Tudo isso eu aprecio com a intensidade das estrelas explodindo no espaço, por estar ao seu lado

"Sob a linguagem do poeta jaz a chave do tesouro". Nizami

A linguagem do Artista, que mente e revela, resguarda e presenteia, é assim, una, não dual, mas completa.

'Ihy Maut! Ankh-na-Maat.'

"Ele que é iluminado com a mais Brilhante Luz moldará a mais Escura Sombra; Ele que é iluminado com a mais Escura Sombra brilhará com a mais Brilhante Luz."
-A. D. Chumbley-