segunda-feira, 20 de junho de 2011

Recadinho^^

Vou estar sem acesso a internet por uns tempos, vou sentir falta de acompanhar os blogs e comentar, tmb sentirei falta de postar, risos. Mas volto^^

Bom Inverno a todos!!! =D~

Oração a Nanã

E kò odò, e kò odò fó
(Encontro-lhe no rio, encontro-lhe no leito do rio)
E kò odò, e kò odò fó
(Encontro-lhe no rio, encontro-lhe no leito do rio)
E kò odò, e kò odò fó
(Encontro-lhe no rio, encontro-lhe no leito do rio)
E kò odò, e kò odò fó
(Encontro-lhe no rio, encontro-lhe no leito do rio)
Kò odò, kò odò, kò odò e
(Encontro no rio, encontro no rio, encontro-lhe no rio)
Dura dura ní kò gbèngbè
(Esforçando-me para não afundar na travessia do grande rio)
Mawun awun a tì jô n
(Lentamente como uma tartaruga trancada suplicando perdão)
Saluba Naná, saluba Nàná, saluba!



"Sob a linguagem do poeta jaz a chave do tesouro". Nizami

A linguagem do Artista, que mente e revela, resguarda e presenteia, é assim, una, não dual, mas completa.

'Ihy Maut! Ankh-na-Maat.'

"Ele que é iluminado com a mais Brilhante Luz moldará a mais Escura Sombra; Ele que é iluminado com a mais Escura Sombra brilhará com a mais Brilhante Luz."
-A. D. Chumbley-