quarta-feira, 16 de maio de 2012

DESATIVADO

O Blog está desativado, não é possível comentar.

Contudo ficará acessível em prol de quem quer procure algo que nele se encontre.

Decidi ceder ao conselho interior de não participar de redes sociais, redes sociais virtuais inclusas. Participar nelas teve seu lado bom e ruim, simultâneo, mas não me parece inteligente continuar experimentando essa delícia agridoce quando a Solitude me apraz por completo.

O mesmo é válido para Facebook, Orkut, Messenger, Youtube.

Quem desejar trocar idéias sobre algo que foi exposto nesse blog ao longo desses 5 anos e principalmente aqueles relacionados a Cultura Iorúba pode escrever para: nascentedepureza@hotmail.com

Responderei a todos.

Qualquer assunto que não seja relacionado ao supracitado favor guardaar para outrem. Bloquearei todos e-mails destoantes dessa máxima.

Boa caminhada à todos, pelos caminhos que escolherem trilhar!


sexta-feira, 4 de maio de 2012

Motunba! Eu me Submeto!

Mojuba gbogbo awon shagba mi rere o!
Reverencio a todos meus mais velhos que me querem bem!


Ologun o!

Ele está na fronteira onde se encontra Óxum
No final do caminho de fora da casa da confusão até o rio
Sem Ele o próprio rio é inacessível
Como se suas margens fossem movediças
Ele é a força que liga a terra para que não seja tragada pela água
Sem Ele o apetite de Óxum seria insaciável
Ele é a satisfação de Óxum
Através d'Ele toda satisfação à Óxum a Ela chega

Axé!

quinta-feira, 3 de maio de 2012

De profundis

Aqui eu vou escrever o que minha cabeça fala à minha Mãe Infernal, na profundeza da terra e do céu
E que seja como o que é bem-dito por outras irmãs
Na vizinhança invisível para a qual o rapto é a única forma de chegar

O tamborim, bata-o forte, espanca a batida do coração, carinhosamente
Inspira tua narina ao sangue e eleva a cabeça para cair a tua coroa de martírio
Dobra o joelho e com as costas coladas no chão Inspira novamente, para amortecer
Ruflem forte os tambores, para abafar as gargalhadas
Confronta o conforto, enamora-o, acaricia-o, e parta
Aparta os rios do parto das gerações e atravessa pelo leito da tristeza
Não haverá margem ou outro lado
Cava fundo para baixo e para frente, e veda a passagem às costas
Neste lugar, me reencontra como nunca antes
Abraça-me e aquece com parcimônia
Enxuga a lágrima da tua face em meus lábios
E neste beijo flóreo nos teus cílios pétalados
Polinizarei o rancor
E em teus olhos cintilará o ardor
De cada sacrifício

"Sob a linguagem do poeta jaz a chave do tesouro". Nizami

A linguagem do Artista, que mente e revela, resguarda e presenteia, é assim, una, não dual, mas completa.

'Ihy Maut! Ankh-na-Maat.'

"Ele que é iluminado com a mais Brilhante Luz moldará a mais Escura Sombra; Ele que é iluminado com a mais Escura Sombra brilhará com a mais Brilhante Luz."
-A. D. Chumbley-